Diário do Vale do Colchágua - Chile: Viña Montes

Publicado por Puros e Vinhos em 21.4.12 com Sem comentários
Talita na entrada da Viña Montes, em Apalta, Vale do Calchágua

Aurelio Montes, um enólogo chileno com vasta experiência em produção e Douglas Murray, um administrador de empresas com MBA em Vinhos em Bourdeaux (estudou com Mondavi e Baronesa Philippine de Rothschild), amigos que se conheceram trabalhando na vinícola San Pedro, tinham convicção que o mercado de vinhos de grande qualidade podia crescer muito no Chile e assim, em 1987, decidiram partir para este projeto, produzindo inicialmente dois vinhos de forma bastante artesanal, o Montes Alpha Cabernet Sauvignon e Montes Classic Cabernet Sauvignon.
Com o sucesso de vendas dos primeiros vinhos, incorporaram em 1988 dois sócios: Alfredo Vidaurre e Pedro Grand, nascendo formalmente a Viña Montes (http://www.monteswines.com/home.php) no Vale de Apalta, coração do Vale do Colchágua, Chile. A vinícola é hoje conhecida no mundo todo pelos seus excepcionais vinhos, premiados em mais de 100 países.

Agendei nosso passeio a partir daqui, enviando um e-mail solicitando informações sobre opções de visitas e degustações e eles me retornaram oferecendo algumas opções. Escolhemos a denominada Tour Icono, em que poderíamos eleger um dos vinhos ícones da vinícola para degustação.

Do centro de Santa Cruz (centro do Vale do Colchágua) até o Vale de Apalta gastamos R$ 25,00 de táxi e chagamos na hora marcada. O tour pelos vinhedos e pela vinícola é bacana, mas não apresentou nada de diferente à outras visitas que já fizemos, exceto pelas lindas paisagens e instalações.

Vista da vinícola e dos vinhedos da Montes

Terminado o tour, que durou aproximadamente 1h, fomos para a sala degustações. A degustação que incluiria um vinho da linha Limited Selection, um vinho da linha Alpha e um vinho ícone se transformou numa das melhores degustações que já fizemos quando o sommelier nos avisou que, por conta de uma degustação realizada pelos enólogos da vinícola do dia anterior, poderíamos provar os três ícones da Viña Montes, o Purple Angel, o Montes Folly e o Alpha M. Que maravilha, Baco estava conosco!


 


Começamos muito bem com o Limited Selection Sauvignon Blanc 2010, um vinho produzido com uvas provenientes do Vale do Leyda, sub região do Vale de San Antônio, a apenas 12 km do Pacífico. Vinho de bastante personalidade e tipicidade. Muita fruta, como abacaxi, manga e maracujá, com alguns toques temperados compõem a matriz aromática desde vinho. Na boca apresenta excelente acidez e muito equilíbrio entre fruta, acidez e doçura. Certamente um super best buy chileno.

Na sequência provamos o Purple Angel 2009, um corte de 92% Carmenère e 8% Petit Verdot. Vermelho rubi intenso. No nariz tabaco,  bastante fruta e o toque da madeira bem afinado. Um vinho de ótima qualidade, porém, achei que o álcool se sobressai um pouco, o que, ao meu ver, é inadmissível para um vinho que, no Brasil, é vendido na faixa dos R$ 200,00.

O próximo vinho provado foi o Folly 2007, produzido com 100% Syrah e com 15% de graduação alcoólica. Vermelho rubi intenso com alguns toques violáceos. No nariz muitas notas tostadas, muita especiaria e fruta madura. Na boca apresentou taninos bem maduros e confirmou frutas maduras e especiarias, que lhe são um toque apimentado bem interessante. Apesar dos 15% de álcool é extremamente equilibrado, um vinho excepcional.

O último vinho da degustação seria o Alpha M 2009, um corte de 80% Cabernet Sauvignon, 10% Cabernet Franc, 5% Merlot e 5% Petit Verdot. Vermelho rubi violáceo de média intensidade. No nariz bastante baunilha, provenientes dos 18 meses de estágio em carvalho francês, toques de especiarias, capuccino e ameixas secas. Médio corpo. Taninos bem afinados. O final é um pouco adocicado para o meu paladar, mas, sem dúvida, é um vinho de extrema qualidade.

Conversando com o sommelier que dirigia a degustação, perguntei sobre o que os enólogos esperavam em termos de envelhecimento destes vinhos ícones da Montes. Foi quando ele nos ofereceu a prova de um Alpha M da safra de 1998, solicitando que nós mesmos tirássemos alguma conclusão. Como recusar? Baco realmente estava conosco!

Fomos ao Alpha M 1998. Com coloração já tendendo para o castanho, o vinho apresentou aromas bem interessantes de frutas secas, especiarias e ainda toques provenientes da madeira, como baunilha. Na boca muito redondo e vivo, mostrando que ainda vai evoluir e que, possivelmente, a cada vez que for aberta uma garrafa, os degustadores terão o prazer de degustar um vinho diferente, evoluído e, acredito eu, sempre muito bom!



Nossa tarde terminou com a compra de algumas garrafas e a certeza de ter feito uma visita/degustação excepcional, que valeu muito.


Sala de degustações e loja

Ao final, nada mais justo que agradecer ao anjo símbolo da Viña Montes, pelo excelente dia e pelos excelentes vinhos!



Reações: