Colheita da Carmenère num dos melhores terroirs do mundo - Chile

Publicado por Blog Vinho SIM em 21.6.12 com Sem comentários
Trabalhadores em Pneumo, um dos vinhedos da Concha y Toro, no Chile.
Créditos: Viña Concha y Toro.
Os meses de maio e junho reservam para os chilenos a colheita de uma das uvas mais aclamadas no país: a Carménère.

Marcio Ramirez, enólogo chefe da Concha y Toro diz que, como 2012 foi um ano mais quente que o ano anterior, esperam-se vinhos mais concentrados a frutas vermelhas e com muitas avaliações positivas do mercado. 

A colheita da Carmenère em Pneumo, um dos vinhedos da Concha y Toro, jamais é deixada ao acaso. A partir de meados de abril, os enólogos vão diariamente ao campo para testar as uvas e determinar a data exata de sua colheita. Este trabalho meticuloso começa no vinhedo, especificamente no tratamento dado para beneficiar a qualidade das uvas, já que para a Carménère é muito importante uma boa exposição ao sol. "Desde que são pequenos, os cachos devem receber luz direta e calor, pois isso faz com que as notas de pimenta verde desapareçam e dêem lugar às notas frutadas", disse Ramirez. A Carménère é a última cepa a ser colhida. Enquanto a Merlot é colhida no início de março e a Cabernet Sauvignon em meados de abril, a Carménère costuma chegar à vinícola em meados de maio. Este ano em particular, o produtor explica que a Primavera de 2011 e outono de 2012, foram mais quentes do que outros anos, o que significa que as uvas amadureceram um pouco mais cedo, antecipando a data de colheita entre 8 e 10 dias. Em anos normais, os caixos da Carménère são caracterizado por pequenas uvas redondas e apertadas. "Como este é um ano morno, os cachos foram maiores e mais flexíveis, permitindo uma melhor aeração dos grãos e baixo risco de botrytis". A melhor maneira de saber se as uvas estão prontas para serem colhidas é testando-as diretamente da parreira. Se morder a pele e sentir os grãos ásperos e notas de pimenta, espere um pouco mais. Para colher, os grãos devem apresentar sabor suave, notas de figo e frutas vermelhas.

Dos vinhedos de Pneumo são obtidas uvas para as linhas premium (Trio e Casillero), superpremium (Gran Reserva Serie Riberas y Marques de Casa Concha), ultrapremium (Terrunyo) e ícone (Carmin de Peumo). As uvas de cada linha de vinho são colhidas em diferentes épocas e orientações geográfica. "Os setores mais em direção ao mar têm um solo um pouco mais fértil, nutritivos e com mais umidade do que os perto das montanhas, que são mais argilosos. Portanto, o prazo para o oceano é mais lento, a colheita pode ter mais de dez dias de diferença entre um setor e outro ", diz o enólogo.

Neste ano, a colheita de Carménère em Peumo começou em 4 de maio, com sede projetada para Terrunyo e se extendeu até o dia 17 deste mês, com a colheita das uvas para a produção do Carmin de Peumo.

Podemos esperar ótimos carmenères chilenos em breve!


Fonte: Concha y Toro Wine Magazine de Maio 2012.

Reações: