TOP 10 - Vinhos para o inverno (junho-julho)

Publicado por Blog Vinho SIM em 25.6.12 com Sem comentários


É galera. O inverno chegou! Não sei vocês, mas a minha (sempre enorme) vontade de tomar vinho aumenta com chegada desta estação tão especial, por isso nesta série TOP 10 apresento algumas sugestões para esquentar o primeiro mês de inverno, que promete ser bastante frio.

Como sempre comento e acredito nunca ser demais repetir, destaco que todos os vinhos desta relação foram comprados por mim, degustados nas próprias vinícolas em visitas, na EXPOVINIS 2012 ou em outras degustações abertas realizadas aqui no ABC ou em São Paulo e, portanto, não possuem nenhuma influência de produtores, lojas, importadoras, etc.

Destaco mais uma vez também que esta é uma lista elaborada por mim que, claro (infelizmente!), estou muuuuuito longe de ter degustado todos os vinhos do mercado, logo, sempre haverá outras ótimas opções. Se quiserem fazer qualquer sugestão fiquem à vontade, o VINHO SIM está aberto a todos!

Para facilitar a escolha, separei os vinhos nas velhas e boas três categoriasaté R$ 50,00de R$ 50,00 à R$ 100,00 e acima de R$ 100,00.

Bom proveito a todos!

Até R$ 50,00

Uxmal Alto - Merlot + Cabernet Sauvignon - 2010 (Mistral, R$ 33,00)


Sempre uma ótima escolha, principalmente devido à sua excelente relação qualidade-preço. Vinho de grande potência e que mostra com maestria a evolução da Cabernet Sauvignon na Argentina. Bom ataque aromático. Mostra frutas vermelhas maduras, toques mentolados e algum tostado proveniente da madeira. Na boca é denso e macio, frutado, com boa acidez. Ideal para pizzas, tábuas de frios e pratos a base de carnes pouco condimentados.

Tília - Malbec/Syrah - 2010 (Vinci, R$ 36,00)


Depois da ótima pontuação recebida pela Wine Spectator (88 pontos) na safra 2009, esperava-se bastante deste 2010. E não decepcionou. Um vinho interessante por R$ 36,00. Bastante cor: vermelho violáceo. Bons aromas de frutas vermelhas entre frescas e maduras. Algumas notas de especiarias. No paladar confirma as notas frutadas e possui uma boa acidez. Um ótimo vinho para acompanhar pratos não muito complexos. Massas, pizzas, queijos de média maturação e carnes mal passadas serão ótimas escolhas.

Hécula - 2009 (Sociedade da Mesa, R$ 40,00)


Seleção de maio/2012 da Sociedade da Mesa, este vinho ainda não está no mercado aqui no Brasil, mas é possível adquiri-lo pelo site da Sociedade da Mesa. Vermelho violáceo de média intensidade. No nariz morangos, framboesas maduras e toques do carvalho. Na boca é bem estruturado, com bom equilíbrio entre acidez e doçura. Ideal para pratos a base de cordeiro, pratos condimentados, queijos médios e maduros e embutidos em geral.

De R$ 50,00 à R$ 100,00

Glen Carlou - Tortoise Hill - 2008 (Decanter, R$ 57,00)


Vinho de extremos aroma e sabor. Vermelho violáceo. No nariz uma explosão de frutas negras como ameixa e amora maduras, especiarias, e toques tostados e de baunilha. Na boca, muita fruta madura bem equilibrada pela acidez. Taninos maduros e ótima persistência. Uma ótima opção para pratos condimentados e também para pizzas com ingredientes de sabor intenso, como peperoni e calabresa, por exemplo.
Uma opção mais em conta é o vinho da mesma marca, mas safra de 2005 (veja ND aqui no blog), que ainda se encontra muito bom!

Tormentas - Minimus Anima - Garagem - 2008 (Marco Danielle, R$ 58,00)


Este corte de 50% Cabernet Franc, 20% Cabernet Sauvignon, 20% Alicante Bouschet e 10% Merlot é extremamente elegante e, seguindo a proposta do produtor, apresenta um estilho bem europeu, velho mundo. Com forte vocação gastronômica, este vinho não se apresenta extremamente frutado, mas sim com um estilo mais delicado, onde seu buquê vai se abrindo aos poucos, mostrando notas terrosas e animais. Sua acidez agrada muito ao meu paladar e convida a acompanhar pratos à base de molhos vermelhos, especialmente os elaborados com tomates frescos. É um vinho de inverno!

Fairview - Goatfather - 2009 (Ravin, R$ 70,00)

Já comentado aqui no VINHO SIM, no post sobre o I Festival de Inverno do Empório D'Vino, este vinho é um corte de 50% Sangiovese, 33% Barbera e 17% Cabernet Sauvignon. A mescla destas três uvas, sendo duas "rivais" da Toscana e Piemonte (Sangiovese e Barbera, respectivamente!) foi o primeiro passo para eu experimentar este vinho e o resultado: paixão. O Goatfather é um vinho bem diferente da maioria dos vinhos que há no mercado brasileiro porque consegue misturar os estilos novo e velho mundo de fazer vinhos. Apresenta-se potente no aroma e no paladar, mas ao mesmo delicado. Possui grande vocação gastronômica. 

Laura Hartwig - Merlot - 2008 (Terramater, R$ 79,00)


A bela coloração vermelho rubi vem acompanhada de aromas de frutas negras maduras e secas, bem completados pela madeira. No paladar é bem saboroso, bem frutado e com ótimas acidez e persistência. Excelente para acompanhar massas, pizzas com muitos ingredientes e carnes magras.

Casa Valduga - Mundvs - Malbec - 2008 (R$ 76,00)


Apesar de ser elaborado com uvas provenientes de Lujan de Cuyo, na Argentina, este é um vinho conta com uma boa tipicidade dos vinhos brasileiros do Vale dos Vinhedos. Apresenta uma cor vermelho profundo, com halo bem violáceo. No nariz, as notas terrosas e animais se destacam de cara, mas rapidamente são acompanhadas pelas frutas vermelhas e negras maduras. Bons toques defumados provenientes da madeira. Paladar bem macio, com boa estrutura e acidez equilibrada. Ótima persistência. Excelente harmonização para carnes na brasa e queijos maduros.

Acima de R$ 100,00

Marichal - Tannat A - 2007 (Ravin, 145,00)

comentado aqui no blog, conheci este vinho lá mesmo na Bodega Marichal, no Uruguai. A justificativa para a escolha deste vinho é muito simples: o inverno é sempre um convite a um bom churrasco, um bom churrasco é sempre um convite a um bom Tannat e um bom Tannat é o Tannat A da Bodega Marichal. Fantástica estrutura, taninos afinadíssimos, excelente acidez. Ótima persistência.


Eq - Syrah - 2009 (Grand Cru, 140,00)

Do produtor Matetic, vinícola chilena biodinâmica, cujas uvas são certificadas como orgânicas, este Syrah é um vinho com boa estrutura e bem elegante. Típico Syrah chileno: frutado na medida certa, com belas notas apimentadas e boa acidez. Ótima pedida para acompanhar pratos condimentados e pizzas com diversos ingredientes. Não foi à toa que recebeu 91 pontos de Robert Parker e também da Wine Spectator.
Agora é só escolher o vinho, o prato e curtir com sua companhia predileta! Ahhh ... o inverno chegou!
Reações: