Diário do Vale do Colchágua - Chile: Viña Laura Hartwig

Publicado por Blog Vinho SIM em 10.9.12 com Sem comentários


O Chile possui muitos vinhedos e muitas vinícolas e, andando por lá, não é difícil perceber que há basicamente dois estilos bem definidos: as “modernas”/contemporâneas e as “tradicionais”. Esta rotulação proposta não visa separá-las por emprego de tecnologia e não quer dizer de forma alguma que as “tradicionais” não se utilizem de modernos recursos para a produção de seus vinhos, é apenas um estilo, uma forma de pensar no trabalho.

No Vale do Colchálgua há vinícolas que são verdadeiras obras de arte arquitetônicas, como é o caso da Lapostolle (relembre) ou da Viña Montes (relembre), por exemplo, mas também há aquelas que mantém um estilo mais tradicional nas construções, nos dando aquele ar de vinícola butique, como é o caso da MontGras (relembre) e desta que é a estrela maior deste artigo, a Laura Hartwig.

A vinícola existe há pouco mais de 20 anos e tem uma capacidade de produção anual de 300.000L, valor bem pequeno se comparado às grandes vinícolas chilenas, muitas com produção maior que 1 milhão de litros/ano. É uma empresa familiar, dirigida ainda pelo patriarca da família e fundador, Alejandro Hartwig Carte, e com foco na produção de vinhos de grande qualidade. E foi exatamente isso que vimos na nossa visita.

O agendamento da visita a partir daqui do Brasil foi bastante ágil. Apenas um e-mail e já nos foram sugeridas data e horário ideais. Ao chegar fomos recebidos pelo Cesar, o administrador turístico, muito atencioso e com ótimos conhecimentos da vinícola e dos vinhos.

Começamos com um encantador passeio de charrete pelos vinhedos da propriedade, momento em que nos foi explicado sobre a história da Laura Hartwig, sobre o Hotel TerraViña – uma parceria entre um casal de dinamarqueses e a Laura Hartwig - e sobre a escolha das castas para a produção dos vinhos, dentre elas a exuberante e intrigante Petit Verdot, que tratarei com atenção nas linhas a seguir.


Na sequência conhecemos as pequenas e charmosas instalações da vinícola e partimos para a sala de degustações, onde tivemos a oportunidade de conhecer algumas preciosidades da enologia chilena.

A pequena e charmosa sala de barricas
Toda a produção é baseada no lema “menos es más” e ao contrário de grande parte das “vinícolas butiques”, a Laura Hartwig ainda consegue preços muito convidativos.

Fizemos uma degustação com os principais vinhos da empresa, o Reserva Chardonnay 2010, o Reserva Cabernet Sauvignon 2008, o Gran Reserva Cabernet Sauvignon 2008 e os dois lançamentos da linha Selección del Viticultor, um 100% Syrah e outro 100% Petit Verdot.


A Syrah já deixou de ser uma novidade no Chile há algum tempo, tendo gerado vinhos fantásticos nos últimos anos, mas a Petit Verdot ... ahh a Petit Verdot!

Esta casta ainda pouco explorada na produção de vinhos varietais vem ganhando força no Chile, onde tem dado bons frutos, a exemplo deste Selección del Viticultor que consideramos a grande surpresa e destaque da degustação.


Um passeio verdadeiramente imperdível quando estiver no Vale do Colchágua.
Reações: