terça-feira, 28 de agosto de 2012

TOP 10 - Chilenos de melhor relação Qualidade-Preço no Brasil


Comecei este TOP 10 três vezes até chegar a um critério que me satisfizesse.
Primeiro tentei o TOP 10 - Chilenos até R$ 40,00. Não gostei da minha seleção porque deixei alguns vinhos que gosto muito de fora por conta de poucos reais. Pensei: "injusto". Mudei para TOP 10 - Chilenos até R$ 50,00 e pensei: "agora vai, ficou fácil". Como diria um grande amigo professor de matemática: "Tolinho!" Continuei deixando alguns ótimos vinhos de fora. Finalmente decidi o que fazer: uma lista com as minhas 10 preferências dentre de um critério de relação custo x benefício. Os 10 vinhos com melhores relação qualidade-preço provados por VINHO SIM neste primeiro semestre de 2012.

Nunca é demais lembrar que todos os vinhos desta relação foram comprados por mim, degustados nas próprias vinícolas em visitas ou em outras degustações abertas, portanto, não possuem nenhuma influência de produtores, lojas, importadoras, etc.

Obs: optei por deixar alguns vinhos sem as fotos, devido à falta de nitidez. Perdoem a falta de habilidade do blogueiro com a máquina fotográfica. Estou tentando melhorar!

E lá vão eles:

· De Aguirre – Casilda – Gran Reserva 2009 - (Sociedade da Mesa, R$ 40,20)


· Tabalí Reserva Syrah 2010Grand Cru, R$ 54,00

· Montes - Selección Limitada - Sauvignon Blanc 2009Mistral, R$ 57,51

Leia a matéria sobre minha visita à Viña Montes
· Amayna - Sauvignon Blanc 2010Mistral, R$ 87,36

Leia matéria sobre o desafio Amayna SB com e sem barrica
· Ventisquero – Reserva Syrah 2007Cantu, R$ 40,00

· Amaral Sauvignon Blanc 2011Bruck, R$ 61,00

Leia ND completa
· Leyda Single Vineyard Garuma Sauvignon Blanc 2011Grand Cru, R$ 65,00


· Chocalán – Reserva Cabernet Franc 2007Terramater, R$ 60,00

· Estampa Estate Viognier Chardonnay 2011Costazurra, R$ não informado pelo site

Leia ND completa
· Undurraga – TH Carignan – Vale do Maule 2009 - Abfllug, R$ 80,00


E aí, gostou da lista? Discorda de alguma indicação? Tem alguma sugestão? Comente aqui ...

sábado, 25 de agosto de 2012

Tenuta San Guido - Le Difese 2009


Terceiro vinho na escala de importância da vinícola Tenuta San Guido, produtora do famoso Sassicaia, localizada na região da Toscana, Itália, o Le Difese, produzido com 70% Sangiovese e 30% Cabernet Sauvignon, é o vinho de entrada da vinícola, apesar de seu custo no Brasil ser em torno dos R$ 180,00.

Provei este vinho pela primeira vez na EXPOVINIS 2012, mas não quis escrever uma ND antes de prová-lo novamente. Feita a segunda prova, pude confirmar aquilo que já havia pensado: os 90 pontos concedidos por Robert Parker foram de bom tamanho.
O que quero dizer com isso? O vinho é muito bom, mas não surpreende na sua faixa de preço!

Vamos às impressões.
Cor vermelho rubi intenso, límpido e com bom brilho. Ainda sem evolução cromática. Aromas bem francos de fruta vermelha, toques de fumo, um pouco de terra molhada e notas de chocolate e baunilha, provenientes dos 12 meses de estágio em barricas de carvalho. No paladar novamente destaque para as frutas vermelhas maduras. Taninos presentes, levemente amaciados. A acidez elevada é um convite gastronômico, como é de esperar dos bons tintos italianos, principalmente se harmonizado com pratos da culinária italiana. Creio que o vinho já possa ser bebido, mas  eu acredito que ele vá evoluir (talvez muito!) nos próximos 3 ou 4 anos.

R$ 178,00 (Ravin) | Alcool 14% |

Avaliação VINHO SIM: ÓTIMO / Relação QUALIDADE-PREÇO: RAZOÁVEL

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Um "Porto" grego? Tsantali - Cellar Reserve



Há mais de cem anos, a família Tsantali, através do fundador da vinícola, Evangelos Tsantalis, cultiva uvas na Trácia - a região mais oriental da Grécia continental - baseada num profundo respeito pela natureza e num forte compromisso com a qualidade.

Hoje, a terceira geração da família, no comando desde 1996, mostra a mesma dedicação aos valores do fundador, continuando a criar vinhos excepcionais e espirituosos, tendo orgulho do seu compromisso com uma agricultura sustentável em todos os vinhedos, localizados em Halkidiki, Monte Athos, Rapsani (Monte Olimpo), Marousa e Macedônia, alguns, inclusive, de cultivo orgânico.

Este vinho, denominado Cellar Reserve, é um vinho fortificado, ao melhor estilo Porto, produzido com 100% uvas da casta Mavrodaphne - autóctone da Grécia e que dá nome a uma D.O. no país -, provenientes do Golfo de Corinto, localizados 200 m acima do nível do mar.

As uvas são vinificadas até aproximadamente a metade dos açúcares serem convertidos em álcool, quando é interrompida e feita a adição de aguardente vínica ao mosto fermentado, trazendo um vinho com teor alcoólico de 18%.

Coloração castanha de média intensidade, ótimos brilho e transparência. Aromas de frutas secas, especialmente figos e ameixas. Notas tostadas provenientes dos 5 anos de envelhecimento em carvalho e toques de baunilha. Paladar também de frutas secas, novamente com destaque para ameixas e figos, agora acompanhadas por uvas passas. Acidez adequada. Um vinho muito interessante a um preço mais interessante ainda. Não é comparável aos grandes Portos, mas é uma grande alternativa para acompanhar sobremesas à base de chocolate e/ou nozes, castanhas ou amendoim, como foi o meu caso.


R$ 25,00 (Carrefour) | Álcool 18%

Avaliação VINHO SIM: ÓTIMO / Relação QUALIDADE-PREÇO: EXCELENTE

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

De Martino - Legado - Syrah 2010



Fundada em 1934 pelo imigrante italiano Pietro De Martino Pascualone, que se estabeleceu no Valle do Maipo com o objetivo de produzir vinhos com a mesma paixão que o fazia em sua terra natal, a De Martino é uma vinícola com história. Foi a primeira vinícola chilena a exportar vinhos produzidos com Carmènére, em 1996, hoje uma uva ícone no Chile.
Em 2011 foi considerada a vinícola do ano pela Asociación de Vinos de Chile.

A linha Legado, que estampa este Syrah 2012, foi escolhida para representar algumas das mais inovadoras regiões do Chile, como os Vales Limarí e Choapa, assim como expressar todo o terroir de Vales já consagrados como o Maipo. São vinhos que passam de 12 a 14 meses em barricas de carvalho francês.

Com 91 pontos do Guia Descorchados 2010, este Syrah 2010, proveniente do Vale Choapa - a parte mais estreita do Chile, ao norte de Santiago – apresentou cor vermelho-púrpura intenso e brilhante. No nariz muitas notas de ameixa preta, cassis e chocolate. Na boca, o frutado é bem equilibrado por uma boa acidez, deixando o vinho com um frescor muito gostoso. Taninos maduros. Boa persistência. Mais um ótimo exemplar de Syrah chileno no Brasil.

R$ 72,00 (Decanter) | Alcool 14,0%

Avaliação Vinho SIM: ÓTIMO – Relação QUALIDADE-PREÇO: ÓTIMA

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

O maior produtor biodinâmico da França: Domaine Cazes - Le Canon du Marechal 2010



Desde 1997, o Domaine Cazes segue práticas sustentáveis de viticultura, sendo atualmente o maior proprietário de vinhedos biodinâmicos da França.
Seus aclamados vinhos doces de Muscat de Rivesaltes são considerados praticamente um patrimônio do Roussillon, no Sul da França, mas seus secos sob a denominação Côtes de Roussillon também têm ganhado respeito e recebido muitos elogios da imprensa mundo afora, especialmente pela fantástica relação qualidade-preço.

O protagonista deste post, Le Canon du Maréchal 2010, em sua safra 2007 já foi apontado pela Wine Spectator como um dos Best Values da Europa e, ao meu ver, não demorará muito para este 2010 receber grandes elogios também.

Elaborado com 50% Syrah e 50% Merlot e sem passagem por barricas de carvalho, este vinho mostrou-se vermelho violáceo com bastante brilho. No nariz grande destaque para frutas vermelhas frescas e algum toque floral. Paladar de bom corpo. Boa intensidade de fruta, ótima acidez e maciez típica da fermentação malolática. Taninos discretos e maduros. Um vinho muito prazeroso e fácil de beber. Ótima pedida para massas e pizzas.

R$ 70,00 (Mistral) | Álcool 13%

Avaliação VINHO SIM: ÓTIMO / Relação QUALIDADE-PREÇO: ÓTIMO

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Destaques da WW 2012: Champagnes da Hedoniste!


Quando visito eventos no estilo da Wine Weekend evito criar uma expectativa muito grande, pois a maioria das importadoras dificilmente leva seus melhores vinhos, já que não é comum o consumidor destes vinhos procurar uma feira para comprar.
E foi assim que fui à WW 2012. Disposto a procurar novidades, garimpar vinhos de ótima (ou melhor) relação qualidade-preço, descobrir novas safras de vinhos que já conhecia, conhecer gente nova, trocar ideias, ... 
Mas eis que num determinado momento me deparo com uma grande (e boa, muito boa!) surpresa: a Hedoniste!
Com um portfólio de 13 Champagnes de 3 produtores (Maison Lamblot, Franck Bonville e Michel Arnould et Fils), a jovem importadora foi, dentre todos os estandes que eu visitei, o maior destaque da Wine Weekend 2012.
Garimpados pessoalmente pelo proprietário Marcelo Yabiku, os Champagnes da Hedoniste são produtos artesanais de grande qualidade e preços bastante atraentes para o segmento, variando de R$ 220,00 a R$ 1200,00.

A importadora disponibilizou alguns dos rótulos na WW e tive a oportunidade de provar 6 deles, os quais se seguem.


A Maison Lamblot possui sede na cidade de Janvry, mas possui vinhedos espalhados por vilas ao redor. Os Lamblot estão no ramo há 13 gerações plantando e vendendo uvas e há 5 produzem seu próprio Champagne.
Os Champagnes Lamblot permanecem nas adegas sobre a borra, pelo menos, por 3 anos (Brut Tradition e Blanc de Noirs), 5 anos (Brut Nature) e até 8 anos (Millésimes).

Brut 1er Cru: R$ 200,00


Proveniente da vila de Vrigny e de parcelas com vinhas um pouco mais velhas que a média da região, leva 40% de Pinot Meunier, 40% de Pinot Noir e 20% de Chardonnay na composição.
Na taça um amarelo dourado com reflexos esverdeados. Aromas de flores brancas, com belas notas de fermentação e toques amanteigados. Paladar sedoso, lembrando frutas de polpa branca maduras, como melão e peras. Excelente acidez e persistência muito boa.
Sugestão de harmonização do produtor: “Para associar com foie gras, sobremesas, frutas vermelhas e aperitivo."

Millésime 2002: R$ 240,00


Este Premier Cru safrado 2002 é composto de 50% de Chardonnay e 50% de Pinot Noir.
Na taça um belo dourado com muito brilho. Aroma bem frutado e floral, chamando atenção os toques de morangos e lírios. O paladar é cremoso e longo, com um leve amargor que não incomoda, me lembrando grapefruit.
Sugestão de harmonização do produtor: “Um Champagne para ocasiões especiais ou simplesmente por prazer. Você pode apreciá-la sozinho como aperitivo ou com carne branca".


Localizado em Côte des Blancs, Franck Bonville possui apenas vinhedos Grand Cru nas vilas de Avize, Oger e Cramant. Grande produtor de Chardonnay, que proporciona aos Champagnes elegância, finesse e longevidade.
Frack Bonville já está na 5a. geração cultivando vinhedos próprios e vinificando, sendo um dos mais premiados e tradicionais da Champagne.

Brut Blanc de Blancs: R$ 250,00


Este Champagne é produzido com 100% Chardonnay (principal característica do produtor) cortados em 50% da safra 2006 e 50% da 2007.
Amarelo dourado. Aromas de frutas cítricas, lembrando limão siciliano. Toques florais e defumados. Paladar levemente cremoso e amanteigado, com ótima acidez. Frutas cítricas novamente aparecem, mas agora contornadas por notas adocicadas, algo como uma mousse de limão ou até mesmo de maracujá. Ótima persistência.
Sugestão de harmonização do produtor: “O Brut Sélection é fácil de beber, agradando a grande maioria dos consumidores e é versátil: servindo como aperitivo, para refrescar no meio da tarde e harmonizando com pratos leves de peixe, crustáceos e frutos do mar”.

Camille Bonville: R$ 250,00


Mais um 100% Chardonnay Grand Cru, das vilas de Cramant e Avize das safras de 2005 e 2006.
Amarelo-palha de bom brilho. Destacam-se os aromas de fermentação com notas florais encantadoras. Paladar bem fresco, com ótima acidez e uma certa mineralidade. Final longo.
Sugestão de harmonização do produtorEscolta muito bem pratos de peixe, crustáceos e demais frutos do mar grelhados ou com molho leve. Bom para o aperitivo também”.

Brut Rosé: R$ 300,00


Este Grand Cru é composto de 90% Chardonnay de Avize e 10% de Pinot Noir de Ambonnay, ambos da safra de 2006.
Na taça uma leve cor rosa, com traços levemente alaranjados e muito brilho. Os aromas sutis de frutas vermelhas frescas, como framboesas e morangos selvagens, permeados por toques de biscoitos, são muito sedutores. Paladar com ótima acidez, lembrando frutas cítricas alternando-se entre frescas e maduras. Notas de fermentação. Boa cremosidade e ótima persistência.
Sugestão de harmonização do produtor: “Acompanha bem as entradas de uma refeição de grande estilo, presunto parma com melão e igualmente uma salada de frutas”.


Localizado na vila Grand Cru de Verzenay – provavelmente a vila com mais atrações concentradas em toda Champagne –, este produtor é um especialista em Pinot Noir, sendo um dos raríssimos a possuir a classificação Grand Cru para vinhedos desta cepa.
A Pinot Noir de Verzenay se distingue de outras regiões por diversos aspectos, como a localização de 49.16” - praticamente no limite da zona vitícola da Terra, que é 50" de Latitude Norte - e o fato de seus vinhedos possuírem orientação Norte, tomando muito pouca insolação e produzindo uma Pinot Noir que foge do trivial de outras regiões, de muita fruta vermelha madura, demonstrando uma elegância ímpar e mantendo a potência característica.

Brut Tradition: R$ 250,00


É o rótulo de entrada da Michel Arnould, e que entrada ...
Bela cor amarelo dourado claro com nuances rosadas. No nariz as notas de fermentação são evidentes, permeadas pelo aroma de pêssego fresco e de flores brancas. Surge também algum toque de fruta seca, como amêndoas. Paladar com ótima cremosidade e acidez ideal. Ótima persistência.

Sugestão de harmonização do produtor: “Aperitivo ou sobremesa a base de sorvete como a La Dame Blanche (sorvete de baunilha, calda quente de chocolate, chantilly batido na hora e cerejas frescas)”.


Vale frisar que todos os preços mencionados estão com preços promocionais de lançamento, com descontos de aproximadamente 10%.

E assim terminou minha visita ao estande da Hedoniste, uma importadora com pouca idade, mas mentalidade de gente grande, que certamente vem para ficar.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Degustação Ramirana - Empório D'Vino - Visão Geral

Nicolás Farías, Brand Ambassador Ventiquero
Mais um evento bacana realizado aqui em Santo André.
Desta vez o Empório D’Vino e a Cantu importadora, promoveram uma degustação dos vinhos Ramirana com a presença do embaixador da Viña Ventisquero no Brasil, Nicolás Farías.

Os vinhos Ramirana são um projeto novo da conceituada Viña Ventisquero que tem como norte a produção de vinhos em pequenas parcelas para atender um público bem específico, especialmente consumidores de empórios e restaurantes.

A vinícola contratou o aclamado enólogo Alejandro Galaz, com vasta experiência na França e um dos responsáveis pelo grande sucesso dos vinhos Amayna no Chile, para iniciar este projeto audacioso de escolher pequenas parcelas de vinhedos da fazenda da Viña Ventisquero, no Vale do Maipo, para produção de produtos diferenciados.

O sonho da vinícola, com a visão do experiente Galaz, começou a se tornar realidade quando o enólogo notou que as videiras plantadas mais próximas ao mar tinham uma espécie de microclima próprio, recebendo uma influência um pouco maior dos ventos frios do Pacífico, o que, talvez, poderia gerar vinhos diferenciados utilizando parcelas de parreiras que já estavam ali há muitos anos. Bingo!!

Interessante notar que os rótulos trazem a imagem de um cavalo, uma grande paixão do proprietário, e que inspirou o nome da vinícola, já que Ramirana é o nome do haras onde cria cavalos da raça conhecida como “chilena”.

Bom, chega de falar da vinícola e vamos aos vinhos!

A degustação foi conduzida de forma descontraída, mas sem deixar o conteúdo de lado. Nicolás Farías, um chileno que já está há 4 anos no Brasil, conseguiu unir seriedade, simpatia e bom humor para falar dos vinhos com muitas informações interessantes.


Os vinhos apresentados seguiram a seguinte sequência:

1) Varietal Merlot 2010


Vinho de coloração bem jovem, vermelho púrpura brilhante.
Aromas de frutas levemente maduras com notas florais. Na boca possui boa acidez e boa fruta. Final bem ligeiro e com um leve amargor, mas que não chega a incomodar. Interessante a informação que 10% do vinho é composto por um reserva da Ventisquero com passagem de 10 meses por barricas de carvalho de 2o e 3o uso. Um vinho bem leve, simples, bom para o dia a dia.

R$ 31,00 | Álcool 13,5%

Avaliação VINHO SIM: BOM / Relação QUALIDADE-PREÇO: BOA

2) Reserva – Cabernet Sauvignon + Carmenèré 2010


A composição de 60% CS e 40% Carmenèré é interessante porque os toques herbáceos, provenientes da Carmenèré conferem mais frescor ao vinho.
Coloração vermelho rubi com nuances violáceas. Aromas de frutas vermelhas e negras, com destaque para amora madura. Notas de especiarias e pimenta do reino. Na boca possui ótima acidez e os 10 meses de carvalho já aparecem trazendo taninos. Um vinho gostoso de beber, mas, ao meu ver, com destaque excessivo para a madeira, especialmente no nariz.

R$ 44,00 Álcool 13,5%

Avaliação VINHO SIM: BOM / Relação QUALIDADE-PREÇO: BOA

3) Reserva – Cabernet Sauvignon 2009


Um 100% CS do Maipo com passagem de 10 meses por carvalho, 50% francês e 50% americano de 2o e 3o usos.
Coloração vermelho rubi intenso, com algumas nuances acastanhadas, já mostrando leve evolução. No nariz, pimentão, fruta vermelha e notas de couro. Na boca, a ótima acidez deixa o vinho, de ótima estrutura, bastante fresco. Aparecem também toques de especiarias, principalmente no retrogosto. Ótimo vinho.

R$ 44,00 Álcool 13,5%

Avaliação VINHO SIM: ÓTIMO / Relação QUALIDADE-PREÇO: ÓTIMA

4) Gran Reserva Cabernet Sauvignon 2009


100% CS com passagem de 12 a 14 meses por carvalho francês e americano, sendo de 30 a 40% de primeiro uso.
Coloração vermelho rubi de muita intensidade, chegando a tingir a taça. Aromas destacados de frutas vermelhas, mentol, algo de especiarias e toques tostados. Paladar com boa presença de frutas maduras e os toques da madeira bem integrada. Excelente acidez, deixando novamente uma sensação de frescor na boca, algo como aquelas pastilhas de chocolate com menta.

R$ 68,00 Álcool 14%

Avaliação VINHO SIM: ÓTIMO / Relação QUALIDADE-PREÇO: BOA

Fico muito feliz quando encontro uma linha de vinhos que conseguem explorar a especificidade de cada casta ou mesmo corte a que se propõe a fazer, mas ao mesmo tempo possui um elo entre os vinhos, que dá a caraterística da vinícola, do enólogo e, principalmente, da terra de onde provêm. Nisso a Ramirana acertou em cheio! Seus vinhos possuem uma tipicidade muito interessante, com toques do carvalho destacados (algo que, honestamente, não agrada muito meu paladar!) e uma acidez que confere um frescor muito interessante aos vinhos (algo que agrada, e muito, meu paladar!).

Ótima prova, ótimo evento.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Wine Weekend 2012 - Visão Geral / Impressões iniciais



Começou hoje (16/08) e vai até o próximo domingo a Wine Weekend 2012, único evento do estilo voltado para consumidor final.

Estive lá para ter uma visão geral do evento e contar minhas impressões iniciais pra vocês.


A feira está bem organizada, com todos os expositores dispostos num único corredor, o que torna o evento um pouco mais intimista, fica todo mundo perto ... rs.

Não fui com tempo suficiente para entrar em todos os estandes - farei isso no sábado - mas nos que entrei, pude concluir que as importadoras devem estar guardando o melhor pro final.

Por hoje, gostaria de trazer dois destaques.

O primeiro vai para uma interessante degustação de azeites na Andes Foods conduzida pelo simpático Masaki Irie, que domina bem o assunto e tem muitas informações relevantes.


O segundo vai para a Hedoniste e seus deliciosos Champagnes.


A jovem importadora apostou nos Champagnes artesanais de 3 produtores: Franck Bonville, Michel Arnould et Fils e Maison Lamblot. Tive a oportunidade de provar dois deles, o Brut Premier Cru da Lablot e o Gran Cru Camille Bonville da Franck Bonville, ambos ótimos, com muita personalidade. Logo mais escrevo as impressões sobre eles.
O Marcelo Yabiku, proprietário, me disse que a ideia é colocar outros para degustação nos demais dias de evento. Imperdível.



Reserve algumas horas de um dos próximos dias (sexta, sábado ou domingo), ande com calma pela feira. É possível visitar todos os estandes e garimpar ótimos vinhos. Se encontrar algo interessante, comente aqui no VINHO SIM, ok?

Logo mais comento mais destaques e conto mais novidades pra vocês.

Ótima visita à todos!

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Vasculhando o Encontro Mistral 2012: Krone Brut Rosé 2005


Assim como nos outros anos, o Encontro Mistral 2012 foi excepcional (relembre). Ótimos produtores, vinhos, organização, recepção, enfim ... um evento sem adendos.
Curtir os vinhos dos principais produtores é sempre um grande prazer, já que estes nos brindam sempre com sua qualidade eximada, mas é interessante também vasculhar estes eventos atrás de novidades, de alternativas, de achados, enfim, vinhos que não conhecíamos e que podem nos surpreender, seja pelo preço, pela qualidade ou pela melhor de todas, a relação qualidade-preço.

Um dos menores estandes desde encontro era o da produtora sulafricana The House of Krone, popularmente conhecida apenas como Krone, que apresentou os seus dois espumantes do catálogo da Mistral, dividindo o espaço com a conterrânea Barista Wine.

O enólogo Nicky Krone produz este Vintage (60% Pinot Noir e 40% Chardonnay) com uvas colhidas à mão sempre durante o frio da noite e início da manhã e com o mínimo de interferência, podendo então ser considerado um vinho biologicamente estável. O vinho é maturado 54 meses (não, não escrevi errado, são 54 meses mesmo!) com as borras, utilizando o mesmo método dos grandes Champagnes e o resultado é simplesmente incrível.

Visual lindo, salmão claro, com perlage delicada, fina e contínua (detalhe: a degustação não fui realizada em taças flute!). Aromas muito delicados de frutas vermelhas frescas, como framboesa e morangos, notas de fermentação e sutis e deliciosos toques tostados. Na boca é ainda mais delicado, com cremosidade e frescor na medida certa. Muito equilibrado e persistente.

R$ 150,00 (Mistral) | Álcool 12% | Acidez 6,8g/L | Acúcar 9,0g/L

Avaliação VINHO SIM: REFINADO / Relação QUALIDADE-PREÇO: ÓTIMA

sábado, 11 de agosto de 2012

Tá chegando o Wine Weekend 2012, mais um evento com cobertura total do VINHO SIM!



Está chegando o dia de mais um grande evento de vinhos em São Paulo! Agora é a vez do Wine Weekend 2012.

O evento, único do estilo para consumidor final, chega à sua 3a edição contando com mais de 2000 rótulos em exposição, muitos deles à disposição para degustação nos estantes dos expositores.

Dentre as opções de visitação, os destaques vão para a nova importadora Hedoniste - especializada em champagnes artesanais que vai apresentar na feira exemplares dos 3 produtores que compõem o seu portfólio nesse início de atividades: Maison Lamblot Michel Arnould et Fils Franck Bonville: imperdível -, a KMM – que dará atenção especial aos rótulos da Austrália e da África do Sul, como Yalumba, Petaluma, Jim Barry, Namaqua e Mont Du Toit -, a Dommo - que estará com suas novidades da França, os vinhos Antoine Moueix Rouge AOC Bordeaux, La Grande Chapelle Bordeaux e Larose Montenac AOC Medoc e também suas linhas da Argentina  (Tomero e Vistalba) e do Chile (Yali) -, a Max Brands, que apresentará dois lançamentos italianos da marca Cesari: o Amarone Clássico della Valpolicella “Il Bosco” 2005 e o Ripasso Mara 2009.
Estarão presentes também as importadoras Ravin, Armazém Qualimport, Cantu, Abflug, Costazzurra, Orion, MS Import, Casa Aragão, Brown Forman, Vinos & Vinos, Santa Cruz, Palácio dos Vinhos, Bcubo, Sicilianess e os azeites da Quinta de São Vicente, dentre outras.

Se não bastasse todas estas opções, o público participante terá à disposição uma série de atividades na programação:

- palestras de iniciação ao vinho e sobre vários temas;
- sala de projeção que ficará exibindo filmes consagrados, nos quais o vinho tenha papel preponderante;
- a Art Wine Gallery - uma galeria de arte com quadros e esculturas com o tema “vinho”, sob a coordenação da artista plástica Anapana, que reunirá obras de 30 artistas consagrados, entre eles Antonio Peticov, André Peticov, Luis Castañon, Zélio Alves Pinto. Todas as obras expostas poderão ser compradas no evento.
- Jurado por um dia: primeiro júri popular de vinhos comercializados no Brasil. Vinte especialistas brasileiros vão selecionar os 15 melhores vinhos do evento, mas quem vai decidir será o público. Os interessados em ser jurado por um dia devem, primeiramente, adquirir o ingresso antecipado para um dia do Wine Weekend (veja abaixo como fazer) e em seguida ligar para o telefone (11) 4612-1337 e pagar R$ 80,00 para ter essa experiência. Há apenas 100 vagas para o júri popular que serão preenchidas por ordem de inscrição.
- Restaurante, a cargo do Buffet Garní (Restaurante Quinta do Museu), que vai propor a harmonização na prática. O restaurante não venderá bebidas. As pessoas levarão os vinhos comprados na feira ou disponibilizados em degustações pelas importadoras e vinícolas para acompanhar os pratos pedidos, sem cobrança de rolha.

Não é muito difícil prever que será um ótimo evento, né? Vejo vocês lá.

Wine Weekend 2012

Quando? de 16 a 19 de agosto.
Onde? Jockey Club de São Paulo – Entrada pelo portão 1.
Quanto? R$ 50,00 o ingresso (1 dia de evento e uma taça de degustação para usar no evento e levar para casa, que será entregue no local) desde já pelo Ingresso Rápido (no site www.ingressorapido.com.br ) ou nas bilheterias no local nos dias do evento.
Que horas? quinta a sábado das 12:00h às 22:00h e domingo das 12:00h às 20:00h.

Visite o site: www.wineweekend.com.br  e veja toda a programação.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Las Laxas - Albariño 2011



Localizada na DO Rías Baixas, uma região espanhola cheia de peculiaridades - altitudes geralmente inferiores a 300m, próxima do mar, com temperaturas amenas, chuvas elevadas e boa drenagem – a Bodegas Las Laxas já amealhou alguns prêmios interessantes com seus brancos, como o Gran Baco de Oro de 2006 no prêmio Luis Hidalgo da união Española de Catadores como o melhor “Vino Jóven” da Espanha, o melhor Branco Jovem da Espanha pelo guia espanhol Vivir el Vino 2012, dentre outros.

Apesar de não constar do meu set list de prova para o Grand Tasting 2012, como não tenho um grande portfólio de provas referente à casta Albariño, resolvi provar este vinho enquanto ainda passeava pelos brancos do evento: arrependimento zero!

Cor amarelho palha muito brilhante e transparente. Aromas florais e frutados intensos. Pêssegos frescos, damascos secos e lírios são muito nítidos. Na boca tem ótima acidez e um leve amargor mas, estranhamente, não me soou como defeito, me lembrou um pouco uma situação comum da minha infância: os aromas das cascas de laranja que meu avô adorava secar em casa. Ótima acidez e bom corpo. Certamente uma ótima opção para frutos do mar.

R$ 55,00 (Grand Cru) | Álcool 12,5% | Acidez 5,7g/L | Acúcar 1,9 g/L

Avaliação VINHO SIM: ÓTIMO / Relação QUALIDADE-PREÇO: ÓTIMA

Degustação gratuita! Vinhos Ramirana no Empório D'Vino (Santo André), com a presença do sommelier Nicolas Farias!



O Empório D'Vino, em parceria com a importadora Cantu, realiza na próxima 5ª feira, dia 16/08 a partir das 19h, mais um ótimo evento em Santo André: degustação gratuita dos vinhos Ramirana com a presença de Nicolas Farias, sommelier da Viña Ventisquero.

O evento é uma ótima oportunidade para conhecer um pouco mais sobre os vinhos Ramirana, braço da Viña Ventisquero e considerada uma linha especial direcionada especialmente para Empórios e Restaurantes, e aprender um pouco mais com Nicolas Farias, embaixador dos vinhos Ramirana no Brasil.

Serão provados os vinhos Varietal Merlot, Reserva Cabernet Sauvignon, Reserva CS + Carmenèré e Gran Reserva Cabernet Sauvignon.

Como já é de praxe na casa, o evento é sem custo e pede-se apenas a doação de 1kg de leite em pó, que será doado para a OSTRA – Organização Solidariedade Trabalho e Respeito à AIDS - Santo André.

Inscrições e informações: 2669-2188.

Vejo vocês lá.

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Grand Tasting - Grand Cru 2012 - Visão Geral (São Paulo)



Mais um evento sensacional realizado pela Grand Cru: o Grand Tasting 2012 em São Paulo, foi um show!

Enoamigos do Rio, Salvador, Belém e Natal já podem esfregar as mãos e preparar as papilas, tá chegando a hora de vocês curtirem excelentes vinhos e produtores e um clima extremamente agradável.



Ao contrário do que fiz no Encontro Mistral 2012, desta vez elaborei um set list de prova com alguns produtores que pretendia visitar no evento. Minhas prioridades eram Domaine Weinzbach (França), Leyda (Chile), Viña Altair (Chile), Bottega (Itália), Brancaia (Itália), Viña Cobos (Argentina), Massolino (Itália), Zorzal (Argentina), Escorihuela (Argentina) e Perescuma (Portugal). Tive um ótimo percentual de aproveitamento: 80%. Só não consegui provar os vinhos da Viña Altair e da Perescuma, mas acabei fazendo outras excelentes escolhas.

Neste post não vou detalhar os vinhos degustados, apenas destacar alguns deles, apresentar a visão geral do evento e deixar algumas dicas para que a  galera das próximas paradas do Grand Tasting 2012 possa aproveitar ainda mais o evento.

Destaques: PRODUTORES / VINHOS

Dentre as minhas visitas, fiz uma pequena seleção dos estandes que considero mais destacados, seja pelos excelentes vinhos ou pela simpatia dos representantes. Vamos a eles:

Domaine Weinzbach: não perca por nada!

Sou suspeito para falar dos brancos da Alsácia, pois este estilo me agrada em cheio, mas este produtor é realmente muito especial. Seus vinhos são extremamente minerais e com excelente estrutura, carnudos. São vinhos com grande potencial gastronômico, que devem ser contemplados com pratos sofisticados à base de peixes e frutos do mar, como lagostas ou moquecas.


O Gewurztraminer Reserve, que por R$ 130,00 pode ser considerado uma pechincha!
Vinho com algo em torno de 10g/L de açúcar residual, mas que contém uma acidez refinada que o deixa extremamente equilibrado e agradabilíssimo no paladar.

Quinta do Casal Branco - Falcoaria Branco - DOC 2010


Um dos destaques e uma das grandes surpresas (pelo menos para mim!) do evento. Produzido com 100% uvas Fernão Pires - muito antiga e conhecida em Portugal (no Sul é mais conhecida como Maria Gomes) – este vinho é muito floral e frutado e com uma certa mineralidade que o torna complexo no paladar. Um verdadeiro achado por R$ 59,00!

Talenti – Brunello di Montalcino 2007


Um dos mais conhecidos produtores de Montalcino, a Talenti mandou para o Grand Tasting um vinho muito refinado.
A mescla dos aromas de frutas vermelhas, fumo, ervas e especiarias é um verdadeiro deleite para as papilas olfativas, que não fazem inveja às gustativas já que estas se deleitam com um paladar complexo, frutado e com excelente textura, que sempre deixa aquele gostinho de quero mais.

Casa Brancaia


Seria injusto da minha parte destacar um dos vinhos deste excepcional produtor que levou ao Grand Tasting 2012 seu quarteto fantástico, formado pelo Tre 2009 (R$ 70,00), o Chianti Clássico 2008 (R$ 98,00), o Ilatraia 2006 (R$ 250,00) e o excelente Blu 2007 (R$ 342,00). Impossível destacar um deles, já que são grandes ícones em suas categorias e provas imperdíveis.

Massolino

O refinado Dolcetto d'Alba 2010
Mais um italiano de tirar o chapéu.
Começando pelo seu surpreendente Chardonnay (R$ 95,00), passando pelo Dolcetto D’Alba (R$ 79,00) e pelo Barbera (R$ 85,00), ambos 2010, até chegar ao Barolo 2007 (R$ 260,00), não provei nada que fosse “apenas” muito bom, mas todos ótimos. O grande destaque, ao meu ver, é o Dolcetto, de ataque aromático extremamente floral e, na boca, uma acidez muito agradável e equilibrada pela fruta.

Tre Donne: uma gratíssima surpresa do Grand Tasting 2012.


Ainda não conhecia os vinhos deste produtor e resolvi prová-los quando vi no caderno de degustação distribuído pela Grand Cru que quatro dos seus cinco vinhos à disposição no evento custam na faixa dos R$ 60,00 – R$ 80,00.

Um Chardonnay, um Dolcetto d’Alba, um Barbera d’Alba e um Rosso (100% Nebbiolo) muito interessantes, EXCELENTES na relação QUALIDADE-PREÇO, mas o vinho que mais se destacou foi um Vinho da Tavola, de nome Tre Donne D’Arc, um corte único no mundo de Barbera, Dolcetto, Freisa e Pinot Noir. Muito aromático. Na boca, uma maciez incrível e um final tostado muito gostoso, lembrando frutas secas, como castanhas e amêndoas. Não é um vinho com grande complexidade e nem muito refinado, mas vale muito a prova por seu estilo diferente e sua maciez. Recomendadíssimo.

O inusitado d'Arc
Zorzal – Clímax Blend – 2009 (R$ 185,00)


Explosão no nariz. Ameixas e mirtilos maduros e frutas vermelhas e negras em compota. Pimenta e chocolate. Após alguns instantes também surge café e especiarias.
Enche a boca sem nenhuma cerimônia. Em poucos instantes as frutas maduras, os toques refinados da passagem de 24 meses por carvalho, os taninos maduros e a ótima acidez fazem um conjunto extremamente harmonioso e com final largo, muito persistente. Excelente.

Pulenta Estate – XI Gran – Cabernet Franc 2009 (R$ 144,00)


Um Cabernet Franc de referência. Muita cor, muita fruta, pimentão, especiarias e algo mentolado. De estilo próximo a um Cabernet Sauvignon, mas mais domado, mais sedoso. Taninos presentes e com madurez no ponto certo, acidez presente gerando salivação, mas sem incomodar, no ponto. Os 18 meses de afinamento em carvalho aparecem de forma discreta, dando algumas nuances de baunilha e café.

Escorihuela – Pequenas Produções Chardonnay 2009 (R$ 98,00)


Escrever algo positivo sobre a Bodegas Escorihuela é algo muito fácil, já que nunca provei um vinho sequer desta vinícola que não fosse ótimo, mas este Chardonnay 2009 consegue lugar de destaque mesmo entre os grandes.
É um Chardonnay de grande personalidade. Fruta madura e acidez na medida certa. Paladar cremoso, untuoso sem perder o frescor, boa complexidade. Final longo. Mais um da categoria imperdível.


Vale ainda um destaque para os excelentes brancos da Leyda, para a simpatia do enólogo da Viña Tabalí - Cristian Sapulveda, para os os biodinâmicos da Viña Matetic e para os aromáticos Albariños das espanholas Laxas e Don Olegário.

Ufa! Nota 10 pra Grand Cru e que venha o Grand Tasting 2013!

Qual dos vinhos seguir você gostaria de ver comentado aqui no Vinho SIM?