quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Yellow Tail - Moscato 2011



Conheci este vinho, importado pela abflug, no 3º Workshop de Vinhos da Adega e Empório ABC, realizado no início de outubro (relembre).

O que mais me chamou à atenção foi o fato de ser um vinho australiano produzido com a delicada uva Moscato.

A vinícola Yellow Tail, localizada em New South Wales, foi fundada em 1969, mas a marca Yellow Tail surgiu no ano 2000 - já com a vinícola produzindo 300 milhões de litros de vinho/ano – e foi inspirado no "Yellow-Footed rock Wallaby" primo pequeno do Canguru e que tem uma cauda dourada.

Nos últimos anos a vinícola tem apresentado uma estratégia de marketing bastante agressiva e inovadora, apostando principalmente em produtos de bom preço (pelo menos na Austrália e EUA) e fáceis de serem consumidos, talvez despretensiosos.

O “nosso” Moscato alcança um desses objetivos com maestria: é um vinho fácil de beber, com boa paleta aromática e sabor bem agradável, deixa na boca quele gostinho de “quero mais”.

De cor amarelo palha e ótimo brilho, no nariz lembra bastante maracujá, limão siciliano, além de toques de flores brancas. O paladar de ótima acidez traz também algum frutado que me lembrou maracujá e torta de maçãs. Uma leve  “agulhada” lembra um pouquinho os vinhos do Porto. Pouca persistência.

O leitor atento deve ter notado a citação “alcança um dos objetivos com maestria”. E o outro? O preço na faixa dos R$ 45,00 o coloca num patamar de relação qualidade preço ruim. Compreendo todos os impostos e taxas que o vinho importado sofre, por outro lado, por este vinho, bem gostoso de beber, mas de paladar bastante simples, eu pagaria, no máximo, uns R$ 30,00 - R$ 35,00. Aí sim ele seria uma boa compra!

~ R$ 45,00 (abflug) | Álcool 13,0%

Avaliação VINHO SIM: BOM / Relação QUALIDADE-PREÇO: RUIM/RAZOÁVEL

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Pechincha do mês [OUTUBRO/2012]: Vigneti Zabu - Syrah 2009



Mais uma pechincha do mês aqui no Vinho SIM!

Todo mês, aqui no blog, indico para você o melhor vinho de preço acessível degustado por mim naqueles últimos 30 dias. Como “preço acessível” defini um teto de R$ 40,00, que só será ultrapassado no caso do vinho em questão possuir uma relação QUALIDADE-PREÇO excepcional.

A pechincha de outubro é um vinho que conheci no III Workshop de Vinhos da Adega & Empório ABC (relembre) no início deste mês, cuja importação é feita pela Nor Import: o Vigneti Zabu Syrah 2009, que custa na faixa dos R$ 35,00.

A Vigneti Zabu é uma vinícola com aproximadamente 5 anos de vida, localizada de Sambuca di Sicilia, uma das áreas sicilianas mais nobres para a produção de vinhos.

Seus vinhedos estão situados nas colinas acima do lago Arancio, cujas águas são alimento vital para as vinhas durante os meses quentes de verão, permitindo que as uvas possam alcançar um amadurecimento perfeito.

A partir de 2011, a Zabu se tornou parte do Grupo Farnese, formando, juntamente com a Cantina Cellaro, um ousado projeto liderado pelo enólogo Filippo Baccalaro.

Considerei este vinho uma grande pechincha, principalmente por ter conseguido exprimir as qualidades da Syrah, mas com estilo próprio, sem o estilo superfrutado dos Syrah chilenos e argentinos ou dos Shiraz australianos e ao mesmo tempo com mais vida que os Syrah franceses.

Na taça mostrou-se vermelho rubi com nuances violáceas, bastante brilho e média intensidade. Aromas de ameixas oscilando entre frescas e maduras e notas de pimenta. Na boca tem um frutado leve e alguma mineralidade. Taninos quase imperceptíveis e boa acidez. Um ótimo vinho para acompanhar brusquetas e embutidos levemente apimentados. Queijos de média maturação também serão uma ótima haronização para este vinho.

Um Syrah diferente. Está longe de ser um vinho excepcional/refinado, mas é um vinho de muito boa qualidade e por um preço muito convidativo.

~ R$ 35,00 (Nor Import) | Álcool 13,5%

Avaliação VINHO SIM: ÓTIMO / Relação QUALIDADE-PREÇO: EXCELENTE

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Zuccardi - Série A - Bonarda 2009



Um pouquinho da história da Família Zuccardi

A Bodega Família Zuccardi começou sua história na vitivinicultura argentina quase que por acaso.
Nos anos 1950, o engenheiro Alberto Zuccardi, recém chegado à Mendoza, iniciou testes com novos sistemas de irrigação, já que Mendoza se tratava de uma região com baixa média anual de precipitações pluviométricas.
Em 1963, Don Alberto implantou as primeiras videiras na região de Maipú (Mendoza), com o propósito de mostrar aos produtores da zona a funcionalidade do seu sistema de irrigação. Deste instante para cá sua vida mudou, pois a paixão pelas vinhas passou a mover o rumo da história da Família Zuccardi.
Em 1968 veio a construção da vinícola e já em 1976, José Alberto, filho do casal Alberto e Emma Zuccardi, juntou-se ao empreendimento, injetando juventude, força, talento e, principalmente, coragem para encarar um processo de trabalho paciente e sustentado, que era a transformação de vinhos “comuns” em vinhos de alta qualidade.
O grande fruto deste esforço foi a marca Santa Júlia, grande representante da vitivinicultura argentina pelo mundo.

J.A. Zuccardi e Eu na Expovinis 2012

Os anos seguintes foram de consolidação da marca e também de novas experiências, como a produção de vinhos alta gama, a criação do centro de visitantes , a produção de azeites e diversas outras medidas que colocam a Família Zuccardi como uma das grandes vinícolas argentinas.

Vamos ao Série A Bonarda 2009



Produzido com 100% Bonarda, 30% do vinho foi maturado por 10 meses em barricas de carvalho francês de primeiro, segundo e terceiro usos.
Coloração violeta muito intensa, quase negro. Aromas de amora e mirtilos maduros, acompanhados por notas de baunilha e chocolate. Paladar muito macio, fácil de beber e muito frutado. A ótima estrutura me deu a sensação de estar mastigando uma torta de amora ou de framboesas maduras, com doçura e acidez na medida certa. Taninos presentes e bem maduros. Ótima persistência.
Eu não guardaria por muito tempo, no máximo mais um ou dois anos, acredito que o vinho já esteja no auge ou muito próximo dele.
Ótimo acompanhamento para queijos de média maturação ou para carnes vermelhas pouco gordurosas ao ponto ou levemente mal passadas. Ótima pedida também para carnes de caça e de cordeiro.

R$ 64,00 (Ravin) | Álcool 13,5% | Acidez 5,3g/L |Acúcar 3,2 g/L

Avaliação VINHO SIM: ÓTIMO / Relação QUALIDADE-PREÇO: ÓTIMA

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Vigneti Zabu - Inzolia/Chardonnay 2010



O protagonista deste post é um vinho italiano relativamente “fora dos padrões” a que estamos acostumados por aqui, especialmente por dois motivos.

O primeiro é a região de onde vem: Sambuca di Sicília, província de Agrigente, na Sicília.

O segundo é o corte: 60% de Inzolia, uma casta típica desta região, e 40% Chardonnay.

Antes de falar sobre o vinho, vamos a alguns dados da Sicília.

A ilha italiana tem grande tradição vitivinícola, construída desde a antiguidade, época em que os gregos fundaram lá as cidades de Siracusa e Agrigento, por exemplo. Mesmo sem a mesma badalação do Piemonte e da Toscana – as principais regiões vitivinícolas italianas – a Sicília é a região italiana que mais produz vinhos, com uma produção por volta dos 8 milhões de hectolitros/ano, porém apenas algo em torno de 2% corresponde à vinhos de denominação de origem controlada (DOC), prevalendo por lá os vinhos IGT, que não seguem normas tão rigorosas quando os DOC.

E é justamente com a denominação IGT (Indicazione Geográfica Típica) que vem este branco.

Cor amarelo palha, com reflexos dourados, límpido e com ótimo brilho. Aroma de pêssegos, acompanhado por notas florais e algo que lembra infusão, mas não consegui destacar a erva específica. Paladar cremoso, com boa presença de fruta madura e excelente acidez. Ótimo equilíbrio. Final médio.
Uma ótima pedida para queijos de corpo macio e frutos do mar. Minha indicação vai para peixes com molhos “amanteigados”, truta com amêndoas, por exemplo, seria uma ótima harmonização para este vinho.

R$ 50,00 (Nor Import) | Álcool 13%

Avaliação VINHO SIM: ÓTIMO / Relação QUALIDADE-PREÇO: ÓTIMA

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

TOP 5 - III Workshop de Vinhos da Adega & Empório ABC!




TOP 5 Vinho SIM - III Workshop de Vinhos


Nos dias 05 e 06 de outubro, a Adega & Empório ABC, em Santo André, realizou seu III Workshop de Vinhos (veja o resumo do evento) com a presença de 5 importadoras mais o produtor brasileiro Don Guerino.

O evento foi bem intimista e contou com rótulos bem variados. A convite do Alexandre, proprietário da casa, tive a oportunidade de visitar o Workshop, rever alguns amigos e provar algumas novidades do mercado.

Depois das provas, é claro que alguns vinhos mereceram destaque e, para facilitar consultas, organizei-os no chamado TOP 5, os cinco destaques do encontro.

Antes de apresentar a lista, duas observações:

1) o TOP 5 não possui ordem, são apenas os melhores vinhos degustados no evento.
2) os preços apresentados abaixo são preços médios de mercado, não necessariamente reproduzidos no dia do evento.


Vigneti Zabu - Chiantari Nero d’Ávola 2009


Do “bico da bota”, região da Sicília, na Itália, tenho provado alguns interessantes rótulos nos últimos tempos, dentre eles este 100% Nero d’Ávola, importado pela Nor Import.
Um vinho com 6 meses de passagem por carvalho, bom muito boas presença de fruta e acidez. Ótimo equilíbrio e grande vocação gastronômica. Final relativamente longo.

R$ 55,00 (Nor Import) | Álcool 14%

Avaliação VINHO SIM: ÓTIMO / Relação QUALIDADE-PREÇO: ÓTIMA


Cantine Due Palme - Ettamiano - Primitivo 2009


Mais um italiano no TOP 5 e mais um vinho de uma região fora do eixo Piemento-Toscana. Este 100% Primitivo, produzido pela Cantine Due Palme e importado pela La Pastina vem da região da Puglia, mais especificamente em Salento, o “salto da bota”, também chamada de península italiana.
Envelhecimento de 9 meses em barricas de carvalho francês e, onde completou a fermentação malolática.

Paladar bem intenso, com muita fruta e boa acidez. Final longo. Ótima pedida para queijos maduros e para carnes vermelhas.

R$ 69,90 (La Pastina) | Álcool 13,5%

Avaliação VINHO SIM: ÓTIMO / Relação QUALIDADE-PREÇO: ÓTIMA


Cortes de Cima - Chaminé 2011


Ano após ano, o vinho de entrada da Cortes de Cima e importado pela Adega Alentejana, agrada meu paladar. Ainda não havia provado o 2011 e não fui surpreendido: me agradou de novo!

A ideia do produtor de oferecer um vinho jovem, com destaque para os aromas de frutas maduras, foi alcançada neste corte basicamente de Aragonez e Syrah. As frutas vermelhas contornadas por leves toques florais e apimentados conferem uma complexidade interessante ao Chaminé 2011. Redondo no paladar, com final suave, que deixa aquele gostinho de quero mais.

R$ 72,00 (Adega Alentejana) | Álcool 13,5%

Avaliação VINHO SIM: ÓTIMO / Relação QUALIDADE-PREÇO: ÓTIMA


Villa Medoro - Montepulciano d'Abruzzo 2009


Comprovando o domínio italiano nesta lista, não podia faltar um clássico produzido com Montepulciano, a segunda uva mais cultivada na Itália e típica da região de Abruzzo, que origina os tradicionais Montepulciano D’Abruzzo, como é o caso deste, produzido pela Villa Medoro e importado pela Tahaa.

Não sou grande fã dos Montepulcianos e confesso que minhas experiências com os D’Abruzzo não têm sido das melhores, mas este vinho me surpreendeu.

A acidez marcante já esperada destes vinhos é muito bem equilibrada por uma ótima presença de frutas maduras, tudo bem contornado pela sutil presença dos 6 meses de envelhecimento em barricas. Um vinho de excelente potencial gastronômico, especialmente quando penso na culinária italiana com suas bruschettas, pastas e polpetas com muito molho de tomates frescos e muito queijo grana padano e parmesão ralados na hora!

R$ 69,00 (Tahaa) | Álcool 13,5%

Avaliação VINHO SIM: ÓTIMO / Relação QUALIDADE-PREÇO: ÓTIMA


Undurraga - T.H. Carignan (Maule) 2009


O multipremiado TH Carignan Maule, produzido pela chilena Undurraga e importado pela Abflug é sempre um grande sucesso de degustações. Cheguei a cogitar deixá-lo como hors concours, principalmente devido à sua faixa de preço um pouco acima dos concorrentes, mas conversas com participantes do eventos e meus perceiros na construção desta lista me demoveram desta ideia.

Este vinho, indicado por mim como um dos chilenos TOP 10 - Relação qualidade-preço no mercado brasileiro (leia), dispensa grandes comentários devido à sua grande reputação, mas uma informação vale ser partilhada. O projeto T.H. (Terroir Hunters) da Undurraga visa extrair o máximo de qualidade de cada micro-região chilena, e a aposta da Carignan no Vale do Maule vem dando muito certo.

Nariz bem intenso, marcado por amoras frescas e algum toque floral, acompanhados por notas de baunilha. Paladar de ótimo equilíbrio, muito gostoso de beber.

Não é vinho barato, mas tem ótimo preço se levada em conta a qualidade e se comparado ao mercado. Vale a pena provar.

R$ 100,00 (Abflug) | Álcool 13,5%

Avaliação VINHO SIM: ÓTIMO / Relação QUALIDADE-PREÇO: ÓTIMA

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Wine Road Show (Importadora Épice): imagens e visão geral.



Mais uma importadora apresenta seus rótulos em evento para profissionais e imprensa
Épice inaugurou seu Wine Road Show, em São Paulo na última segunda-feira (15/10). O evento ainda passou por Vitória - ES (16/10) e chegará à Recife - PE hoje (18/10) e à Manaus - AM na sexta-feira!


É a primeira vez que a Épice realiza um evento neste formato e a opção por um evento reduzido, com "apenas" 6 vinícolas foi justamente para que os clientes pudessem conhecer todo o portfólio dos vinhos de cada produtor, já que assim há mais tempo para trocar ideias e explorar melhor todo o conhecimento dos enólogos e representantes presentes.

A seguir, algumas imagens do evento.

Mesa 1 - A conceituada chilena Viña Tarapacá marcou presença com ótimos rótulos

Mesa 2 - A também chilena Viña Mar trouxe interessantes rótulos a preços variando entre R$ 30,00 e R$ 45,00 - Ótimas relações qualidade-preço

Mesa 3 - A argentina Alta Vista trouxe seus conhecidíssimos Malbecs, incluindo o ganhador de 95 pontos da Wine Advocate, o Alto 2007

Na mesa 4, duas preciosidades de Portugal assinadas pelo fantástico enólogo Luis Duarte: a Herdade dos Grous ...

... e seu projeto pessoal com os vinhos Rapariga da Quinta, de fantástica relação qualidade-preço.

Na mesa 5, diretamente de Rioja, Espanha, aquela que, ao meu ver, foi o grande destaque do evento: Bodegas Muga

Havia ainda uma mesa com licores e destilados (mesa 6), praia em que eu não costumo surfar, por isso não me aventurei  por lá, mas estava muito bem arrumada, colorida e concorrida, todos pareciam estar gostando das provas.

A promessa da importadora para o próximo ano é que outros produtores venham ao evento para mostrar suas preciosidades ... mal posso esperar.

Mais comentários sobre os produtores e NDs nos próximos dias.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Massolino - Barolo Clássico 2006


Assim como na França, sempre que pensamos em vinho pensamos em Bordeaux e Borgonha, na Itália, sempre que pensamos no maravilhoso líquido, duas regiões travam uma disputa à parte: Toscana e Piemonte. E Brunello de Montalcino e Barolo são os grandes destaques nessa disputa.

Já escrevi um pouquinho sobre o Brunello de Montalcino aqui (leia) e agora chegou a vez de falar um pouco sobre o Barolo, que é um vinho produzido nas cercanias da cidade de mesmo nome no Piemonte, com a uva Nebbiolo.

A região do Piemonte produz muitos vinhos além dos famosos Barolo, como os extraodinários Barbera, os sempre surpreendes Dolcetto, os espumantes Asti, os famosos brancos feitos com a uva Moscato, o quase “irmão mais novo” do Barolo, o Barbaresco, além de muitos outros, mas deixarei para falar das outras estrelas da região em posts futuros, me atendo, no momento, apenas ao Barolo.

Os Barolo são comumente chamados de “rei dos vinhos”, justamete por ser considerado um dos melhores e, certamente, mais tradicionais vinhos do mundo. Sua composição deve ser 100% da uva Nebbiolo, conhecida por gerar vinhos com muita estrutura, taninos extremamente marcantes e muita personalidade. Especialistas em videiras e parreiras, acreditam que a Nebbiolo é autóctone do Piemonte, mas há controvérsias, uma vez que há relatos de vinhedos muito antigos também na Lombardia. A primeira citação explícita desta uva na região do Piemonte data de 1268.

A área de produção do Barolo tem como centro justamente a cidade de Barolo, situada nas colinas de Langhe, próxima à cidade de Alba. Algumas da principais cidades que compõe a zona de produção “Barolo” são Castiglione Falleto, La Morra, Monforte d’Alba e Serralunga D’Alba.

É isso. Após entender um pouquinho sobre a região, vamos ao “nosso” Barolo, o Massolino 2006.

Produzido com uvas provenientes de Serralunga, na taça apresentou uma cor vermelho rubi intenso com traços granada, límpido e com ótimo brilho.
Os aromas florais e de cerejas e framboesas maduras se destacam de cara, sendo acompanhados por toques tostados e algumas “pitadas” de especiarias. Taninos bem marcados e final longo.

Seria redundante ressaltar a vocação gastronômica deste vinho, e como sugestão ficam as carnes de sabores marcantes, como um guisado de cabrito ou mesmo um cabrito assado, linguiças de temperos fortes e, de preferência, defumadas, além dos fantásticos embutidos italianos diversos.

R$ 260,00 (Grand Cru) | Álcool 13,5 – 14% (apresentado assim pelo produtor)


Avaliação VINHO SIM: REFINADO / Relação QUALIDADE-PREÇO: BOA

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Quinta do Perdigão - Dão Colheira - 2008


 

A Quinta do Perdigão, localizada na região Dão, é a vinícola mais premiada desta região desde 1999, segundo o site da própria empresa.

Com uma área de vinhedos de apenas 7 hectares, está localizada em Pindelo de Silgueiros, na primeira encosta do Rio Dão, a uma altitude de 365 metros. O rótulo evoca as cores e as armas “Perdigão” de 1500, concebido por José Perdigão, arquiteto, proprietário da Quinta do Perdigão.

Todos os vinhos são produzidos seguindo as normas da região Dão, utilizando para tal apenas cepas locais, Touriga Nacional, Tinta Roriz, Jaen e Alfrocheiro Preto, procurando sempre manter as máximas características locais, aproveitando ao máximo as condições climáticas locais para a definição do carácter e qualidade dos vinhos, um ótimo exemplo do verdadeiro conceito de terroir.


O Quinta do Perdigão Colheita 2008 (Tinto) é um vinho elaborado exatamente nas mesmas proporções em que as vinhas são distribuídas na propriedade da vinícola: 50% de Touriga Nacional, 20% de Jaen, 20% de Tinta Roriz e 10% Alfrocheiro Preto (10%) com estágio de 12 meses em barricas  de carvalho francês.

A coloração vermelho rubi intenso, muito límpido e com bastante brilho é muito bonita. Os aromas de ameixas pretas, amoras e mirtilos maduros se misturam com toques herbáceos. As ervas frescas, como arruda e cidreira e algumas notas de especiarias também aparecem. Madeira presente, mas muito bem integrada. Paladar muito agradável, com um frutado misturado com um frescor bem agradável, boa acidez. No retrogosto aparecem nuances de pimenta seca. Macio, equilibrado. Boa persistência.

R$ 100,00 (Mistral) | Álcool 14%

Avaliação VINHO SIM: ÓTIMO / Relação QUALIDADE-PREÇO: BOA

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Começou o Festival Sud de France em São Paulo: imagens do lançamento!


Foi dada a largada ontem, no Bar des Artes, em São Paulo, do Festival Sud de France 2012!

Nas próximas 3 semanas, os paulistanos poderão participar de diversos eventos, dentre eles degustações gratuitas e palestras, bem como comprar vinhos fantásticos e com preços excelentes numa das 24 lojas e 8 importadoras participantes. Outra ótima opção é ir a um dos 16 restaurantes/bistrôs e provar os belos pratos da culinária francesa harmonizados com os vinhos do Sul da França.

Você pode conferir a agenda com os principais eventos nas lojas participantes aqui e/ou acompanhar tudo que acontece no perfil do Festival Sud de France no Facebook.

A convite da simpaticíssima Caroline Putnoki, da CAP Amazon, fui conferir o lançamento e a minha impressão foi a melhor possível.

Confira a seguir algumas imagens (peço desculpas pela falta de qualidade) do evento.



O ambiente bacana, a ótima escolha dos vinhos pelos expositores e a organização impecável só poderiam dar um resultado: convidados felizes, se divertindo muito e com grande expectativa para as próximas semanas de Festival.
 


Os brancos 100% Chardonnay do produtor Sieur d'Arques, comercializados pela Vinos y Vinos fizeram bastante sucesso
A Decanter apresentou uma variada gama de tintos, com preços variando entre os R$ 39,10 do Paul Mas - Claude Val 2010 e os R$ 178,25 para o Domaine L'Oustal Blanc - Maestoso 2006
Outro destaque do evento foram os tintos de ótima relação qualidade-preço, importados pela Jefs Vinus

Muito bate papo e ótimos vinhos

E foi assim. 
Acompanhe o calendário de degustações, palestras, etc e não perca a oportunidade de provar vinhos fantásticos e comprá-los com preços ainda melhores!

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Festival Sud de France - São Paulo: calendário!



De 09 à 28 de outubro São Paulo recebe, pela 2ª vez, o Festival Sud de France.
O lançamento (09/10) contará com uma Master Class sobre as AOC do Languedoc e uma Mini Feira de Vinhos a partir das 18h no Bar des Arts, no Itaim.
No evento também está programada a Dezena Gastronômica, um decanato (15/10 à 25/10) em que os restaurantes franceses-paulistanos mostram o que há de melhor na culinária do Sul da França.
Haverá ainda a possibilidade de compras a preços especiais em diversas importadoras de São Paulo.

Nos dias seguintes, uma série de palestras e degustações movimentam a cidade com o que há de melhor nesta importantre região francesa. Veja algumas das opções abaixo:

10/10
Palestra e degustação Languedoc parte I na Cave Jado [Rua Rio Grande, 406 – Vila Mariana – (11) 2478-2001] com a sommelière Patricia Brentzel (R$120).

13/10
Degustação gratuita na Cave Jado [Rua Rio Grande, 406 – Vila Mariana - (11) 2478-2001]

18/10
Palestra e degustação Languedoc parte II na Cave Jado [Rua Rio Grande, 406 – Vila Mariana - (11) 2478-2001] com a sommelière Patricia Brentzel (R$120)

19/10
Degustação gratuita na Casa Vidigal [Rua Oscar Freire, 2236 – Jardins – (11) 3062-8767]

20/10
Degustação harmonizada gratuita na Cave Jado [Rua Rio Grande, 406 – Vila Mariana - (11) 2478-2001] (17h):  O Languedoc através das criações gourmet do chef francês Nicolas Barbé.

Degustação Baccos [Rua Sergipe, 568 – Higienópolis - (11) 3660-8100]

Degustação gratuita na Casa Rovigo [Rua Aracajú , 239 – Higienópolis - (11) 3661-3885]

Degustação na loja Vino Mundi [Rua Ministro Jesuíno Cardoso, 451- Vila Olimpia - (11) 2338-8466]

Degustação gratuita no Emporio Frei Caneca [Rua Frei Caneca, 569 – Cerqueira César - (11) 3472-2082]

Degustações na Maison du Vin [Avenida Europa, 580 – Jardim América – (11) 2109-1500 e Rua Aurora, 872 – Centro – (11) 3087-8300]

Degustação gratuita na Enoteca Decanter [Rua Joaquim Floriano, 838 – Itaim – (11) 3073-0500] (11h às  15h)

24/10
Degustação Madame na Cave Jado [Rua Rio Grande, 406 – Vila Mariana (R$75 

25/10
Happy Hour na loja WINE PRO [Avenida Cidade jardim, 976 – Jardins – (11) 2609-2822] (19h) (R$ 55,00)


Para maiores informações basta ligar diretamente para as lojas/empórios/enotecas participantes. 
Um ótimo Festival para todos nós.

I Wine Weekend D'Vino - Empório D'Vino - Santo André - Visão Geral/Fotos

Conforme publiquei aqui no Vinho SIM (relembre), no final de semana entre 21 e 23/09, o Empório D'Vino, em Santo André, realizou o 1º Wine Weekend D'Vino, uma ótima degustação de massas, risotos e vinhos, inédita na região.

O evento contou com bons rótulos da importadora Cantu e uma ótima seleção de massas artesanais e risotos, preparados com todo capricho pela equipe da casa.

A seguir, algumas fotos dos vinhos à disposição, todos com preços descontos entre 12 e 21% do preço de prateleira.


Toda boa recepção tem um bom espumante, como é o caso deste Veuve Devienne

Os descontraídos Cicônia, da Herdade São Miguel

O SB 2011 da linha Yelcho, da Ventisquero, fez sucesso entre os participantes, principalmente pela EXCELENTE relação QUALIDADE-PREÇO.

A harmonização do Yelcho SB 2011 com o talharine de ervas finas na manteiga agradou em cheio

A linha Crios - Susana Balbo, de ótima relação qualidade-preço, não poderia ficar de fora!

O Raviolone de mussarela com tomates secos e molho rosé foi um dos destaques da noite de sexta-feira.


Deixo aqui meu agradecimento ao Empório D'Vino pelo convite e os meus parabéns pela realização de mais um ótimo evento no ABC.Quem foi curtiu.
Pra quem perdeu, só resta aguardar a próxima.

sábado, 6 de outubro de 2012

III Workshop de Vinhos da Adega & Empório ABC - Visão Geral


Começou ontem (05 de outubro) o III Workshop de Vinhos da Adega & Empório ABC aqui na Lino Jardim, 854, em Santo André - SP - (11) 4436-3813!

O evento contou com a presença das importadoras Nor Import, Adega Alentejana, Tahaa, Abflug e La Pastina, além da vinícola Don Guerino, produtora brasileira.

Todos apresentaram ótimos rótulos de seus respectivos portfólios, a maioria na faixa entre R$ 30,00 e R$ 70,00 e com relação qualidade-preço muito boa, o que garantiu a satisfação e a felicidade dos participantes.



Os brancos e espumantes da Don Guerino

Os tintos da Zabu (importação Nor Import) fizeram grande sucesso

Linha de entrada da Zabu, com os tintos Nero D'Avolla e Syrah e o branco blend de Inzolia e Chardonnay, pouco comum em terras tupiniquins

O amplo portfólio da Adega Alentejana foi representado por grandes opções de relação qualidade-preço

A jovem importadora Tahaa fez uma seleção com ótimas opções da Argentina, Itália e Espanha

A seleção da Abflug contou com boas opções e com o super-pontuado Undurraga TH Carignan

As "bruschettas" e antepastos da La Pastina são sempre uma atração à parte

A La Pastina trouxe bons brancos e tintos, além dos conhecidos excelentes antepastos

Como deu pra ver, começou bem o III Workshop de Vinhos da Adega & Empório ABC. Gente animada e disposta a conhecer vinhos, expositores simpáticos e bem preparados e, principalmente, bons vinhos!

Nos próximos dias, publicarei as listas TOP 5 dos melhores vinhos, das melhores relações qualidade-preço e dos mais vendidos.

Como morador de Santo André, gostaria de parabenizar a iniciativa da casa e agradecer o convite, torcendo para que mais eventos deste tipo aconteçam na região.

Qual dos vinhos seguir você gostaria de ver comentado aqui no Vinho SIM?