Direto de Mendoza - Bodega Alta Vista: vinho mendocino com toque de França!

Publicado por Blog Vinho SIM em 6.2.13 com Sem comentários

Localizada num edifício histórico de 1899 no coração de Chacras de Coria, o distrito mais simpático de Luján de Cuyo, em Mendoza, posso resumir os vinhos da Bodega Alta Vista de forma bem simples: são os vinhos mais “franceses” que provei na Capital do Sol e do Vinho!

A vinícola foi toda reestruturada em 2003, mas preservou aquela que talvez seja a principal característica de produção dos vinhos mendocinos, a fermentação das uvas em tanques de concreto, que os argentinos chamam de piletas.


Na Alta Vista, a tônica da produção é o respeito pela fruta e pelo terroir, por isso são usadas muitas piletas de concreto pequenas, onde são fermentadas separadamente uvas de cada vinhedo e, em alguns casos, parcelas de determinado vinhedo, para se garantir as características próprias de cada "pedaço de terra", prática muito interessante que lembra o método de elaboração dos "Grands Crus" franceses.

A família d'Aulan, proprietária da vinícola, elabora vinhos em diferentes regiões vitícolas do mundo, como a França - de onde é oriunda e é responsável pelo famoso Champagne Piper Heidsieck - a Hungria e a própria Argentina, onde possui 157 hectares de vinhedos, localizados em Campo de los Andes e El Cepillo, no Vale do Uco, Agrelo e Las Compuertas, em Luján de Cuyo, além de Salta, onde é cultivada, principalmente, Torrontés.


Outro ponto onde se percebe a influência francesa na Bodega, é no amadurecimento dos vinhos. Todos eles têm passagem por barricas 100% francesas. Perguntado do motivo desta exclusividade, Matthieu Grassin, enólogo da vinícola foi bem direto: “são usadas somente barricas francesas porque sou francês!”. É claro que foi uma brincadeira, no entanto, com um fundo de verdade, já que o enólogo não esconde a intenção de produzir vinhos com características que lembrem seu país natal.


Agendei minha visita à Bodega daqui mesmo, via e-mail, diretamente com o enólogo e amigo Matthieu Grassin, que tive o prazer de conhecer aqui em São Paulo, durante o Wine Road Show 2012 (relembre), organizado pela importadora Épice, responsável por trazer os vinhos da Alta Vista ao Brasil. A visita foi muito divertida, pois, além de passearmos pelas dependências da vinícola, pudemos conhecer um pouco mais da história da enologia de Mendoza e essa interessante fusão entre a cultura argentina e francesa, que tem dado ótimos frutos.


Partimos para a degustação, onde provamos, da esquerda para a direita:

1) Premium Torrontés 2012: Um Torrontés que me agrada bastante. Cremoso, com notas de frutas tropicais, lichia e banana, acompanhadas por uma ótima acidez que é um convite para continuar bebendo.

2) Premium Malbec 2011: Um Malbec com características bem diferentes do padrão Malbec mendocino. No nariz é bem frutado, mas na boca tem uma acidez bem acima da média. Matthieu nos explicou que esta acidez é proposital, algo que reflete o estilo francês da vinícola.

3) Terroir Selection Malbec 2008: Com 15,5% de álcool e passagem de 12 meses por barricas (lembre, sempre francesas!), sendo 33% novas, 33% de segundo uso e 33% de terceiro uso, este Malbec me agrada bastante, já que no nariz apresenta uma bela composição de frutas em compota com toques especiados e na boca mostra uma ótima estrutura e uma acidez bem marcada. Uma pitada de amargor no final.

4) Alto 2007: Não é à toa que este vinho é indicado pelos especialistas Diego Bigongiari, Joaquín Hidalgo e Alejandro Iglesias no guia austral Spectator como um dos mais estáveis de Mendoza. O Alto é um vinho ícone da Argentina e, possivelmente, o que se mantém por mais anos consecutivos como um vinho de excelente qualidade, independentemente da safra em Mendoza. O corte de 70% Malbec e 30% Cabernet Sauvignon com 16 meses de passagem por barricas novas e 15% de álcool me agrada em cheio. Apresenta uma grande grande concentração aromática, com frutas maduras e compotadas para enófilo nenhum botar defeito, sensualmente contornadas por notas de caixa de charutos e um defumado encantador. Na boca é bastante complexo, mostrando toda concentração de frutas muitíssimo equilibrada por uma acidez bem marcada. Muito redondo.


Uma ótima visita à esta Bodega de forte influência francesa, que no Brasil são importados pela Épice. Recomendo. A Bodega Alta Vista recebe turistas todos os dias (inclusive finais de semana) das 9h às 18h. Basta agendar pelo (54) 261 496 4684 ou através do e-mail tourism@altavistawines.com.

Qualquer dúvida, sugestão, etc deixe seu comentário que será um prazer responder e ajudar na sua visita à capital do Sol e da Malbec.

Leia mais matérias sobre Mendoza aqui.

Que Baco nos ilumine!
Reações: