Lançamento do Ventisquero Enclave 2010, apresentado por John Duval e Felipe Tosso

Publicado por Blog Vinho SIM em 3.5.13 com Sem comentários


Tive o prazer de participar ontem, 02/05 do lançamento do mais novo vinho ultrapremium da vinícola chilena Ventisquero no Brasil: o Enclave 2010.

A degustação organizada pela Baccos Vinhos (http://www.baccos.com.br/), uma das mais tradicionais lojas de vinho de São Paulo, foi dirigida pelos enólogos Jonh Duval e Felipe Tosso, acompanhados do embaixador da Ventisquero no Brasil, Nicolas Farias, que apresentaram de forma descontraída e muito didática não apenas esse novo projeto, mas também outros grandes vinhos da Ventisquero, como o Vértice 2007, o Grey GCM 2012 e os consagradíssimos Grey Merlot 2009 e Pangea 2007.



A parceria Jonh Duval e Felipe Tosso

Depois de quase 30 anos como enólogo da Penfolds, o australiano Jonh Duval decidiu elaborar seus próprios vinhos, lançando marca própria (Jonh Duval Wines) em 2003. Na mesma época, Duval recebe o convite pessoalmente de Felipe Tosso, já enólogo da Vetisquero e que acompanhava de longe seu trabalho, para elaborar vinhos no Chile. Convite aceito, nascia uma nova forma de se produzir vinhos, que pode ser identificada como “chile-australiana”, e que se tornaria uma das parcerias de maior sucesso no mundo e ainda, nos dias de hoje, com grande potencial de crescimento.


O estilo próprio é perceptível em diversos vinhos, desde a escolha dos nomes e dos cortes até a fusão de ideias de duas das maiores escolas de enologia do Novo Mundo.



Os vinhos degustados foram:

1. Grey Single Block – GCM 2012


De vinhedos localizados em Apalta, no Vale do Colchágua, vem este vinho, produzido com um corte pouco comum no Chile.
Após identificar que algumas videiras de Cabernet Sauvignon recebiam maior insolação que o necessário, os enólogos decidiram enxertá-las com Garnacha, Cariñena e Mataro (= Monastrel) para produzir um vinho mais jovem, fresco e frutado. O resultado é este GCM (50% Garnacha, 30% Cariñena 20% e Mataro), que já em sua primeira safra foi considerado pelo Guia descorchados o melhor vinho de Apata, amealhando nada mais nada menos que 92 pontos da publicação de Patricio Tapia.
Um vinho leve e descontraído, muito aromático, de estilo que lembra muito os australianos da mesma faixa de preço.

R$ 87,00 | Álcool 14,5%

Avaliação VINHO SIM: ÓTIMO / Relação QUALIDADE-PREÇO: ÓTIMA


2. Grey Single Block – Merlot 2009


Um dos clássicos da Ventisquero no Brasil, este vinho na realidade é um corte de 85% Merlot, 10% Carmanère e 5% Syrah, de vinhedos de Apalta, com solo muito pedregoso, o que lhe confere taninos bem marcados, que bem domesticados formam uma bela harmonia entre maciez e rusticidade, complementada com toques amadeirados provenientes dos 18 meses de afinamento em carvalho francês, sendo 1/3 novas.

R$ 87,00 | Álcool 14,5%

Avaliação VINHO SIM: ÓTIMO / Relação QUALIDADE-PREÇO: ÓTIMA


3. Vértice 2007


Depois do grande sucesso que se tornou o Pangea em todo o mundo, Jonh Duval e Felipe Tosso, pensam: por que não produzir mais vinho ícone? E que tal algo que mostre de forma mais efusiva e radiante esse encontro entre Chile e Austrália?

Nada melhor que um corte de Carmenère e Syrah, especialidade de Tosso e Duval, respectivamente, para expressar o que pensavam os enólogos, que encontraram em duas parcelas da parte mais alta dos vinhedos de Apalta as condições ideais para realizar seu sonho. Formando um ângulo entre si, os “quarteirões” vizinhos 23 (Carménère) e 25 (Syrah), possuem características de terroir distintas, mas que se complementam perfeitamente para um corte perfeitamente harmonioso entre as duas castas. Nascia assim o Vértice.

A safra 2007, que traz 51% de Carmenère e 49% de Syrah, combina a rusticidade da primeira e o frutado-apimentado da segunda, formando um corte sem igual nesta categoria, que é completamente integrado às nuances provenientes dos 22 meses de passagem por carvalho francês, que ainda conferem uma elegância ímpar ao vinho.

R$ 142,00 | Álcool 14,5%

Avaliação VINHO SIM: REFINADO / Relação QUALIDADE-PREÇO: ÓTIMA


4. Pangea 2007


Eleito o vinho do mês de setembro/2012 (relembre) no Vinho SIM, o Pangea 2007 é, ao meu ver, uma das maiores expressões do potencial chileno em produzir vinhos com Syrah.
Um vinho que consegue juntar todas as principais caracsterísticas desta casta maravilhosa com um estilo próprio, que expressa de forma brilhante o terroir de Apalta, a região que é considerada berço da Cabernet Sauvignon e que possui também tudo do que mais gosta a Syrah.
Já não bastasse todas as condições organalépticas para ser considerado um grande vinho, o Pangea ainda tem muita história pra contar.

Verificando que duas parcelas em especial (os “quarteirões 14 e 16”), davam frutos muito especiais, a Ventisquero encomendou um estudo detalhado do solo da região, que mostrou uma característica única nos vinhedos da vinícola: uma camada especial de argila vermelha, que confere aos frutos dali características únicas, tão especiais que recebeu o nome de “Solo Pangea”.

O nome Pangea é uma celebração da parceria entre Duval e Tosso, remetendo aos tempos remotos em que os continentes estavam todos muito próximos uns aos outros.

O Pangea 2007 é um vinho de excelente estrutura, com muita fruta e traços apimentados, algo que me lembra sempre um chocolate amargo com pimenta. Macio, taninos muito finos, excelente acidez e alguns traços minerais. Excepcional equilíbrio.

R$ 242,00 | Álcool 14,5%

Avaliação VINHO SIM: REFINADO / Relação QUALIDADE-PREÇO: ÓTIMA


5. Enclave 2010


A história do Enclave é diferente da história de todos os outros vinhos da Ventisquero.

Ao contrário do raciocínio comum de qualquer enólogo, que é o de extrair o máximo de cada vinhedo e produzir o melhor vinho respeitando as características das uvas daquela região, o Enclave nasce do sonho de Felipe Tosso e John Duval de produzirem um vinho com características próximas aos melhores vinhos de Bordeaux.
Depois de anos de pesquisa, a dupla conclui que a Ventisquero não possui vinhedos próprios para tal intento, uma vez que as melhores uvas deveriam vir do Alto Maipo e, mais ainda, de Pirque, uma região que sofre enorme influencia da Cordilheira dos Andes e do rio Maipo, que se vale de um clima mediterrâneo, ostentando assim as condições ideais para produzir as uvas que desejavam.

A partir daí começa uma intensa busca pelas melhores parcelas de Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Petit Verdot e Carmenère da região, que foram encontradas aos poucos num trabalho minucioso.

É com este conceito que nasce o Enclave.

Da safra 2010, que acaba de chegar ao mercado brasileiro, foram produzidas 10200 garrafas com um corte de 86% Cabernet Sauvignon, 7% Petit Verdot, 5% Carmenère e 2% Cabernet Franc, que estagiaram por 18 meses em barricas de carvalho francês, 50% novas e 50% de 2º uso.

Vinho muito elegante, que realmente lembra os grandes Bourdeaux, mas ao mesmo tempo, possui características que nos remetem aos vinhos chilenos, certamente conferidas pelo toque de Carmenère. Virtude dos grandes vinhos, a presença de cada casta é notada no nariz e na boca, exaltadas pelas notas típicas de cada uma. Muito complexo, tanto no nariz quanto na boca, com taninos firmes e muito finos, ótima acidez e final longo. Um vinho com enorme potencial de guarda.

R$ 414,00 | Álcool 14%


Avaliação VINHO SIM: REFINADO


E foi assim. O resultado da junção de grandes personagens da vitivinicultura mundial, grandes vinhos e um ambiente aconchegante e descontraído é o sucesso. Parabéns à Baccos pela iniciativa e ...

que Baco nos ilumine sempre!
Reações: