Vinho & Pizza II: sugestões de harmonizações desta dupla que tanto adoramos!

Publicado por Blog Vinho SIM em 10.7.13 com 1 comentário
10/07 é o Dia da Pizza!

Diversas iguarias pelo mundo possuem seu dia, mas nenhum alimento é tão singular e tão versátil como a pizza.

Como eu já havia escrito no artigo Vinho & Pizza! 22 sugestões de harmonizações desta dupla que tanto adoramos / 2012 (relembre), esta data foi escolhida por acaso.
Um concurso despretensioso promovido em São Paulo – a cidade conta com mais de 6 mil pizzarias, com produção diária de mais de 1 milhão de pizzas! -, elegeria simplesmente as 10 melhores receitas de pizzas Mussarela e Margherita, mas o sucesso do evento foi tão grande que o estado decidiu instituir o 10/07 como o dia da pizza!

Os amantes do guaraná que me perdoem, mas refrigerante não dá. Cerveja nem pensar. Entendo que cada um tem seu gosto, mas para mim, pizza e vinho nasceram um para o outro e, se 10/07 é o dia da pizza, então é o Dia do Vinho também!

Como já disse e escrevi inúmeras vezes, a harmonização de pizza com vinho não é das mais difíceis (com exceção à alguns sabores) e minha sugestão é sempre a mesma: ignore o que os "manuais" propostos pelos "sábios" dizem, esqueça tudo o que você já leu (inclusive o que lerá aqui nas próximas linhas! rs) e ouse harmonizar o vinho que você gosta com a pizza que você gosta! É muito provável que a harmonização não ficará tecnicamente perfeita, mas também é muito provável que trará um prazer que normalmente a perfeição não traria!

A variedade de sabores de pizzas é infinita e cada um tem suas preferências, por isso elegi as mais tradicionais para apresentar minhas sugestões aqui no VINHO SIM. Espero que gostem.

Mussarela & Margherita

A mussarela (molho de tomate, queijo mussarela e orégano) não é difícil de ser harmonizada e, ao meu ver, é par perfeito para tintos elegantes do velho mundo (ou de estilo similar), principalmente os italianos que levam Sangiovese na sua composição, caso do fantástico Brancaia TRE IGT 2010.

~ R$ 75,00

Já a pizza que homenageia a princesa-consorte Margarida de Savóia - que adorava pizzas - leva molho de tomate, queijo mussarela, orégano e folhas de manjericão, que, com sua leveza e perfume, suavizam levemente a pizza, aumentando a capacidade de harmonização da mussarela, onde se podem acrescentar alguns vinhos perfumados, como por exemplo o Quinta do Perdigão Afrocheiro 2007 ou, como opções mais em conta o sempre correto português Crasto Douro DOC ou ainda o Rapariga da Quinta Escolha 2010.

~ R$ 35,00

Quatro queijos

Nesta pizza (que leva molho de tomate, queijos mussarela, provolone, catupiri e gorgonzola, orégano e azeitonas) a untuosidade e riqueza de sabores se fundem com uma certa leveza (quando bem preparada!) que pedem vinhos, ao mesmo tempo, leves e com alguma presença de taninos, caso de alguns pinot noirs do Novo Mundo, como o Zorzal – Terroir Único Pinot Noir 2010, eleito a pechincha de fevereiro/2012 aqui no Vinho SIM (relembre). Outra opção são os brancos com boa estrutura e acidez, em geral chardonnays com passagem por madeira, como é o caso do Aquitania - Sol de Sol Charddonnay 2008 (ND) ou o Etchart C. Rosa 2010.

~ R$ 50,00

Calabresa
    
A mescla de molho de tomate, calabresa, cebola, orégano e azeitonas é a minha preferida e a lista de indicados é extensa. Syrahs (ou Shiraz) do Novo Mundo - principalmente chilenos, australianos e sulafricanos -, malbecs argentinos e alguns tannats uruguaios mais amaciados são os meus preferidos, com destaque ainda para alguns tempranillos com pouca passagem bor barricas, especialmente os da região de Ribera del Duero. 

Cuidados importantes:

1) a linguiça muito apimentada pode atrapalhar suas papilas gustativas e aí nenhum vinho será capaz de te dar prazer.
2) alguns vinhos desta gama possuem pouca acidez e deixam um sabor adocicado no final, o que deixará uma confusão muito grande na sua boca. Os frutados são interessantes, mas sem abrir mão de uma acidez equilibrada e de bons taninos para suportar a gordura da linguiça.

Minhas indicações são Estampa Syrah-Viogneir 2009 (Chile), Stellenzicht Shiraz 2008 (África do Sul), Bouza Tannat 2011 (Uruguai) além do excepcional brasileiro Gheller Tannat 2007, eleito a pechincha de dezembro/2012 aqui no Vinho SIM (relembre). 

~ R$ 75,00
 
Rúcula, Mussarela e Tomate Seco

A pizza que se tornou uma das campeãs de pedidos dos últimos anos não tem uma harmonização muito simples, pois o agridoce do tomate seco e o leve amargor da rúcula são muito diferentes, no entanto uma "parceria"  vem me chamando a atenção nos últimos tempos: os espumantes! E ao falar em espumantes, falamos de Brasil! Há muitas opções no nosso mercado, mas os nacionais, sem nenhuma dúvida, apresentam grande destaque, principalmente pela ótima relação QUALIDADE-PREÇO.

No Ranking Vinho SIM de Espumantes Nacionais 2012/2013 (artigos no menu do lado esquerdo do blog), evento organizado por este blog no início de 2013,  foram provadas, às cegas, quase 100 amostras (uma das maiores degustações já realizadas com espumantes no Brasil), muitas delas recebendo grande destaque dos degustadores. É claro que seria injusto apontar alguma(s) como destaque, mas as indicações para harmonização fica por conta das campeãs de cada categoria: Maximo Boschi - Tradizionale 2007 (Brut Champenoise Branco), Geisse - Cave Amadeu Rosé 2011 (Brut Champenoise Rosé), Guatambu – Poesia do Pampa 2011 (Brut Charmat Branco), Kranz Rosé 2010 (Brut Charmat Rosé), Donmo Alto Vale Prosecco (Brut Prosecco) e Gheller – Insinuante (Demi-seco).

Atum

Para a combinação de molho de tomate, atum, cebola e azeitona (algumas receitas levam também um pouco de queijo mussarela), ao meu ver, não há melhor opção que os brancos leves, tais como os sauvignon blancs chilenos ou similares. Minha sugestões vão para os exemplares de incrível relação QUALIDADE-PREÇO Ventisquero – Yelcho 2011 (Chile) e Garzón Albariño 2012 (Uruguai).

~ R$ 28,00

Portuguesa

A clássica mescla de molho de tomate, presunto, queijo mussarela, cebola, ovos cozidos, ervilhas, orégano e azeitonas torna esta harmonização bastante complicada, mas os tintos mais aveludados costumam se sair bem, com destaque para diversos merlots, como o brasileiro Don Laurindo – Merlot Leve 2012, eleito a pechincha de setembro/2012 aqui no Vinho SIM (relembreou  ainda alguns cabernet sauvigons cuja passagem por barricas não se sobressaia à fruta, como o saboroso chileno Peñalolen Cabernet Sauvignon 2010.

~ R$ 70,00


É isso.
Agora é só escolher sua pizza, seu vinho e curtir com uma boa companhia.

Bom divertimento e

que Baco nos ilumine!
Reações: