Degustação de rótulos inusitados no Empório Húngaro, em São Paulo

Publicado por Blog Vinho SIM em 8.8.13 com Sem comentários

Na tarde do último sábado, dia 03/08, o Empório Húngaro, localizado na zona sul de São Paulo, apresentou alguns de seus vinhos de importação exclusiva, numa degustação bem intimista, que contou com a presença de clientes e alguns convidados.

Minha relação com os vinhos húngaros, até então, se restringia aos Tokaji Aszú, dos quais sou fã declarado. Fui positivamente surpreendido.

A Hungria possui em torno de 20 regiões vinícolas que produzem, além dos famosos Tokaji Aszú (o vinho mais "famoso" por aqui), uma grande diversidade de brancos, tintos e espumantes, produzidos tanto com castas internacionais, quanto com castas autóctones pouco difundidas por aqui, como as que foram colocadas à prova no sábado.

Da esquerda para a direita: St. Isván 2011 [Olaszrizling], Royal Tokaji 2010 [Furmint], Mátrai 2009 [Cabernet Sauvignon + Kékfranko], Mátrai 2011 [Cabernet Sauvignon + Cabernet Franc] e Royal Tokaji Aszú 5 Puttonyos
A degustação contou contou com 5 rótulos, dos quais 2 me chamaram bastante atenção.


Szent István Korona - Olasrizling - 2011


Produzido com 100% Olaszrizling que é, nada mais nada menos, que a internacional Riesling escrita na língua local, este vinho é um vinhos sem grandes pretensões em termos de complexidade, mas a ótima presença de frutas cítricas, tanto no nariz quanto na boca, e uma acidez crocante o tornam muito interessante. Bem diferente da maioria dos rieslings minerais (que eu eu também gosto muito!) que encontramos no mercado brasileiro. Além disso é um vinho que custa menos de R$ 30,00 (no sábado custava R$ 25,00) o que o posiciona, certamente, como uma ótima compra. Comprei algumas garrafas para prová-las com comida japonesa. Em breve, conto como foi a harmonização.


Avaliação Vinho SIM: ÓTIMO (14/20) / Relação QUALIDADE-PREÇO: ÓTIMA


Royal Tokaji Aszú 2008 - 5 Puttonyos


Era de se esperar que o grande vinho húngaro deveria se destacar na degustação. E não deu outra.
Como em todos os vinhos Aszú, as três cepas usadas na produção deste néctar são Furmint, Hárslevelű e Muscat de Lunel, que conferem ao vinho sabores como mel, damasco secos e casca de laranja seca, perfeitamente equilibrados por uma excepcional acidez. A garrafinha de 250mL foi vendida no sábado a R$ 80,00, mas tem preço normal de R$ 120,00. Não é barato, mas vale cada gole.

Avaliação Vinho SIM: REFINADO (17/20) / Relação QUALIDADE-PREÇO: BOA.


Os demais vinhos também valeram a prova, mas, ao meu ver, não se destacaram tanto. Certamente serão tema de posts futuros.

O Empório Húngaro fica na Rua da Paz, 956 - Chácara Santo Antônio, em São Paulo. Para quaisquer informações é só ligar no (11) 5181-6298 ou enviar um e-mail para contato@emporiohungaro.com.br.

Que Baco nos ilumine.
Reações: