Direto de Mendoza: Tempus Alba, a mais acadêmica das vinícolas sulamericanas!

Publicado por Blog Vinho SIM em 5.11.13 com Sem comentários
TOP y - Visitas à Bodegas de Mendoza!


Visitar a Tempus Alba é uma experiência muito singular no mundo do vinho! Localizada no distrito de Maipú (Mendoza) - a apenas 30 minutos de Mendoza-Capital - e com aproximadamente 110 hectares de vinhedos próprios, parte deles junto à vinícola em Maipú, parte em Luján de Cuyo e parte em Tupungato, a Tempus Alba é um verdadeiro vinhedo-laboratório a céu aberto sem precedentes, pioneira no desenvolvendo de clones próprios de Malbec desde o ano 2000, cujo primeiro vinho resultado deste projeto é o Vero 2007, lançado recentemente e que ainda, infelizmente, não chega ao Brasil.

Não tenho notícias de nada parecido no mundo, o que já torna essa visita é umas das mais extraordinárias de Mendoza, obrigatória para iniciantes e inveterados

Clone desenvolvido in vitro no laboratório da vinícola

A Tempus Alba também conta com wine bar e restaurante muito charmosos, onde se pode provar qualquer um dos vinhos em taça e almoçar tranquilamente com uma linda vista dos vinhedos.

Varanda do Wine Bar / Restaurante
Carta dos vinhos por taça/garrafa que podem ser degustados no Wine Bar/ Restaurante

História / Vinhedos

É muito interessante a forma particular com que a vinícola trabalha as uvas de seus três vinhedos, mais uma característica de um estilo acadêmico pouco visto no mundo dos vinhos.

O vinhedo de Maipú, região considerada um paraíso para a Malbec, é o responsável pelos permanentemente testes e desenvolvimento  dos clones de Malbec, em condições similares a que enfrentarão em cada região para chegarem à seus terroirs com o maior grau de adaptação e condições ideais para a produção das melhores uvas.

Enquanto isso, no vinhedo de Tupugungato (Vale de Uco), onde são cultivadas Cabernet Sauvignon, Malbec, Tempranillo, Sangiovese e Semillon - boa parte plantadas pela própria família há aproximadamente 55 anos -, as condições de insolação com noites frescas (grande amplitude térmica) e a pouca precipitação pluvial (a irrigação é feita por canais com água do degelo dos Andes) geram vinhos muito macios, com grande teor alcoólico, taninos maduros e grande concentração de aromas e cor.

Já o vinhedo de Luján de Cuyo, que possui Malbec, Cabernet Sauvignon, Merlot, Syrah, Sauvignon Blanc e Chardonnay é todo coberto por um sistema de proteção contra congelamento, além da tradicional malha contra granizo muito importante na região.


Visita / Tour

A visita à Tempus Alba pode ser feita basicamente de duas formas.

A primeira delas é a auto-guiada (a qualquer momento dentro do horário de funcionamento), em que o visitante percorre a vinícola acompanhado por uma série de placas com informações sobre a história da Tempus Alba, os vinhedos, os estudos com clones de Malbec até chegar ao Wine Bar, onde pode degustar vinhos por taça enquanto prova algum petisco ou mesmo almoçar no restaurante que fica numa linda varanda com vista para os vinhedos.





A segunda forma – não necessariamente nesta ordem -  é acompanhada por um dos membros da família (agendada previamente!) que coordenará um tour percorrendo um caminho similar ao primeiro, com a grande vantagem de poder esclarecer quaisquer dúvidas in loco, o que é mais indicado para quem quer informações mais específicas sobre a produção e/ou detalhes da vinícola.

Fizemos a visita guiados por um dos proprietários, Mariano Biondolillo, que nos mostrou as instalações e nos contou sobre o trabalho extremamente acadêmico que vem realizando com os clones de Malbec desde 2000, cujo primeiro fruto é o vinho top da Tempus Alba Vero 2007, produzido com 100% de uvas Malbec clonadas pela vinícola.


Vinhos: degustação

Depois desta verdadeira aula sobre a Malbec de Maipú, partimos para degustação, onde tivemos a oportunidade de provar 9 vinhos, sendo os 6 da linha Tempus Alba e 3 da linha Premium.

A linha Tempus Alba é a chamada “linha de combate” da vinícola, a linha “intermediária”, composta por varietais de Malbec (Rosado e Tinto), Merlot, Tempranillo, Syrah e Cabernet Sauvignon, onde o que se busca é uma ótima relação qualidade-preço.


A linha toda nos chamou bastante a atenção, principalmente pela tipicidade que a vinícola conseguiu extrair de cada casta e impor aos vinhos, que, de fato, atingem o grande objetivo de serem ótimas opções de qualidade-preço. Ao meu ver, os maiores destaques da linha são o Merlot - sem passagem por barricas, com ótima presença de fruta e um frescor muito gostoso – e o Syrah, muito macio, com muitas notas de frutas maduras e toques de pimenta e especiarias dignas de vinhos cuja faixa de preço é, em geral, mais elevada.


 



Já a linha Premium, composta pelos ótimos Pleno, Pleno Reserva Del Enólogo e Vero, apresenta vinhos produzidos com as melhores uvas da vinícola e sempre com grande passagem por barricas de carvalho. São vinhos complexos, com ótima estrutura e com grande potencial de guarda.


O Vero 2007 – o vinho ícone da Tempus Alba -, justamente por toda sua história e por ser o primeiro vinho produzido com 100% Malbec clonadas pela própria vinícola tem uma história toda especial.

O nome tem duas referências principais. A primeira é bastante óbvia: vero significa “verdade”/“verdadeiro” em italiano! A segunda é uma homenagem aos três membros da 5ª geração da família, Vito, Ema e Roto, que inclusive têm suas impressões digitais gravadas no rótulo.

Coloração vermelho rubi intenso. Os aromas de frutas compotadas se destacam imediatamente, uma verdadeira “bomba de frutas”. Chocolate, baunilha, café, alcaçuz e charutos também aparecem. Paladar de muita estrutura, mastigável, confirmando muita fruta, algo que lembra geleia. A excelente acidez e os taninos maduros mostram a grande vocação gastronômica deste vinho. Final longo.


Menos pomposo, mas, ao meu ver, ainda mais destacado que o Vero, é o Pleno Reserva del Enólogo 2003, que leva 5% de Tempranillo de Tupungato no corte com 95% de Malbec.
O vinho, do qual foram produzidas menos de 1000 garrafas, estagiou 24 meses em barricas de carvalho novas e mais 18 meses na adega antes de sair ao mercado, em meados em 2009 e é, certamente, um dos grandes vinhos de Mendoza.

Coloração vermelho rubi intenso com leve evolução para o castanho. Na paleta aromática se destacam as frutas vermelhas maduras, compota de figo, com notas de ervas finas, de baunilha e chocolate. Muitos toques defumados. Paladar de ótima estrutura, muito complexo, onde se confirmam as notas frutadas, com um final levemente doce, mas equilibrado pela excelente acidez. Final muito longo.

Conclusão: Ir à Mendoza e não conhecer a Tempus Alba seria um grande crime para qualquer apaixonado por vinhos! A ligação da família com a região, a história da vinícola, a forma particular e acadêmica com que tratam sua produção e seus vinhos, a tornam certamente uma das grandes visitas da Capital do Sol. Uma visita imperdível!


Que Baco nos ilumine!
Reações: