Ranking Vinho SIM de Espumantes Nacionais - Edição 2014

Publicado por Blog Vinho SIM em 24.2.14 com 4 comentários


No início de 2013, depois de diversos anos provando e estudando Champagnes, Cavas, Proseccos, Franciacortas, Astis, Sekts, Sparkling Wines, dentre outros e abarcado por algumas inquietações acerca dos espumantes brasileiros, tomei umas das mais prazerosas decisões na minha relação com o mundo do vinho: juntar uma boa quantidade de amostras deste tão emergente e ultimamente afamado vinho nacional e reunir um grupo de amigos especialistas e enófilos para avaliá-los às cegas agrupados por categorias, para que assim pudéssemos construir uma análise mais "verdadeira" da qualidade destes produtos e, ainda mais, pudéssemos ter um comparativo o mais honesto possível entre todos eles. Um comparativo real, democrático, sem apelo midiático e que não levasse qualquer lobby e muito menos campanhas publicitárias.

Os resultados de tudo isso foram tabulados por categorias e se transformou naquilo que chamei de Ranking Vinho SIM de Espumantes Nacionais, que acabou se consolidando como uma referência do blog em 2013 (relembre os artigos), com mais de 20000 acessos ao longo do ano.

Assim que terminei todo o trabalho, jurei para mim mesmo que estava satisfeito e que não haveria porque realizar outra prova com aquele formato. No entanto, diversos amigos e até mesmo alguns produtores pediram que o trabalho seguisse e que uma nova edição fosse realizada em 2014, já que a cada ano novos produtos são lançados no mercado e é sempre interessante atestar sua qualidade e verificar como anda a evolução daqueles que participaram da edição 2013. Pronto, eu estava convencido a realizar uma nova edição, a 2a Edição do RVS de Espumantes Nacionais.

Sendo assim, em outubro de 2013 convidei mais de 70 produtores de todas as partes do Brasil a participarem do RVS 2014 e este momento merece algumas palavras.

Dia após dia, ininterruptamente, leio entrevistas e comentários de diversos produtores brasileiros lamentando que o “nosso” vinho não é reconhecido, que o mercado não nos dá visibilidade, que o brasileiro não nos valoriza e uma série de outras reclamações - que em alguns momentos até acredito serem válidas! –, mas o que vivenciei ao organizar estas degustações foram atitudes que se mostraram, no mínimo, contraditórias com as reclamações, por parte de alguns.

A contradição mencionada aparece no momento em que os mesmos que vivem se queixando tratam o convite para participar da prova com um descaso total. Descaso, especificamente de alguns, de nem ao menos se dar o trabalho de responder um contato, mostrando interesse ou não em participar, em expor seus produtos às cegas a um painel de degustadores tarimbados e sérios, selecionados à dedo cujo único objetivo é dar ao leitor uma opinião sobre aquilo que se produz por aqui.

Confesso que fiquei bastante decepcionado com esta postura e chego a refletir sobre o que disse um amigo durante as degustações: “alguns produtores brasileiros não aceitam críticas, não suportam ouvir/ler opiniões que sejam diferentes daquilo que desejam como marketing, simplesmente não suportam opiniões diferentes das suas”.

Por outro lado, alguns produtores foram muitíssimo atenciosos, algumas vezes optando por não participar por razões específicas e, em outros casos, mostrando-se felizes com a iniciativa e se colocando à disposição para colaborar com o que fosse preciso. A estes deixo aqui meus sinceros agradecimentos.

Mesmo diante de todas essas dificuldades, consegui recolher quase 80 amostras, que foram agrupadas em 5 categorias: Brut Branco – Método Tanque (Charmat), Brut Rosé – Método Tanque, Extra Brut & Nature – Método Tradicional (Champenoise), Brut Branco – Método Tradicional e Brut Rosé – Método Tradicional.

A novidade desta edição é que decidi não recolher amostras para as categorias Demi Seco e Moscatel, o que causou uma pequena queda no número total de amostras, ainda que o número de amostras das categorias avaliadas tenha aumentado.
A busca pelos espumantes mais destacados do ano continua e nesta edição o leitor poderá não somente saber quais amostras receberam as melhores notas médias, mas também analisar uma lista especial com aqueles que se destacaram também na relação QUALIDADE-PREÇO. Haverá alguma grande compra no mercado nacional? Haverá alguma grande surpresa?
Quase quatro meses depois de iniciados os contatos, passando pela coleta e catalogação das amostras, armazenamento em condições ideais para estabilização, convites para a formação de um painel de degustadores, definição do local, degustação e (ufa!) tabulação todos os resultados, finalmente a 2a Edição do Ranking Vinho SIM (RVS) de Espumantes Nacionais está pronta.
Antes de divulgar definitivamente os resultados - que serão apresentados por categorias – e em respeito à todos os envolvidos, peço sua paciência para ler os próximos parágrafos deste artigo, onde apresento detalhes importantes de todo o processo de confecção do RVS 2014.


Local/Regras

A degustação, conduzida completamente às cegas, foi realizada no Empório Hedoniste (Rua das Bandeiras, 336 - Bairro Jardim - (11) 2337-9707), uma casa que iniciou seus trabalhos há pouco tempo aqui em Santo André e que dia após dia se mostra uma das mais promissoras do ramo na região do ABC.

Como todas as avaliações feitas no blog Vinho SIM, o sistema adotado pontua os vinhos com uma nota que varia de 0 à 20 pontos, sistema este inspirado em artigos do sommelier Enrico Bernardo (http://www.enricobernardo.com/), do crítico português João Paulo Martins (www.joaopaulomartins.com/) e da crítica inglesa Jancis Robinson (http://www.jancisrobinson.com/), avaliadores com os quais tenho grande identificação.

A NOTA FINAL final de cada espumante é a média aritmética das notas de cada convidado-jurado, sempre descartando-se a menor e a maior delas.



Símbolos

Preço


$
Menos de R$ 20,00

$$
Entre R$ 20,01 e R$ 35,00

$$$
Entre R$ 35,01 e R$ 50,00

$$$$
Entre R$ 50,01 e R$ 75,00

$$$$$
Acima de R$ 75,00
Para o leitor menos interessado em aspectos puramente técnicos, "criei" uma escala de avaliação mais simplificada que leva em conta basicamente dois quesitos:

1. O espumante tem virtudes que me fazem dizer que é de qualidade?

2. Depois de provar a primeira taça, tenho vontade de continuar bebendo?

Esta escala consiste em atribuir * (1 "estrela") aos espumantes que menos gostei e até ***** (5 "estrelas") aos espumantes que mais gostei, levando-se em conta qualidade e principalmente vontade de continuar bebendo.


Resumindo:


É isso.

Sugestões, críticas e comentários são sempre muito bem vindos.

Que Baco nos ilumine!
Reações: