Siegel - Gran Crucero Limited Edition 2010

Publicado por Blog Vinho SIM em 7.5.14 com 3 comentários

O Vale do Colchágua (Chile) é uma das minhas regiões favoritas no mundo, pela história e tradição, mas principalmente pela Cabernet Sauvignon e pela Syrah que são plantadas ali, cujos vinhos são únicos no mundo, cheios de personalidade.

Foi lá também que um grande nome ligado ao vinho chileno surgiu: Alberto Siegel.

História
Nascido em Santiago, Alberto cresceu em meio aos vinhedos da Viña San Pedro, onde seu pai trabalhou, e assim começou o interesse pela agronomia, que foi estudar anos depois.

Depois de passar algum tempo trabalhando em vinícolas na Alemanha, Aberto retorna ao Chile e, em pouco tempo, começa a trabalhar como corretor de vinhos na região do Colchágua, onde tem a oportunidade de conhecer a fundo a vitivinicultura local. Alberto foi, e ainda é, possivelmente o negociante de vinhos mais conhecido de todo o Chile.

O tempo passou e o caminho natural era o da produção de seus próprios vinhos, o que aconteceu no início dos anos 80, com a fundação da vinícola Siegel.

A vinícola hoje possui mais de 700 hectares, em diversas regiões chilenas, desde os pés da Cordilheira, na subdenominação Andes até as proximidades do Pacífico, na subdenominação Costa (entenda as novas subdenominações do Chile)

Vamos ao Gran Crucero Limited Edition 2010.

Este vinho, que é a grande estrela da Siegel, é uma seleção das melhores uvas dos vinhedos de cada sub-região da vinícola. Os 45% Cabernet Sauvignon vêm de Lolol, os 35% Carmenère de Los Lingues e os 20% Syrah de Marchingue, o que já mostra, de cara, o cuidado que o enólogo tem com este produto.

O que mais me chamou à atenção neste vinho foi a clareza com que se nota a presença de cada cepa. A groselha com notas mentolados da Cabernet Sauvignon, o herbáceo frutado fino da Carmenère (quando bem vinificada) e os toques especiados e apimentados da Syrah são permeados por um gostoso defumado proveniente dos 12-14 meses de afinamento em carvalho. Taninos maduros e ótima acidez tornam o vinho redondo e macio na boca, com final médio-longo e muito agradável. Tenho certeza que se o preço fosse um pouco mais baixo (talvez na casa dos R$ 100,00) seria um best buy e amealharia uma boa parcela do mercado, mas ainda assim é um vinho que vale ser provado. 

R$ 168,00 (Tahaa) Álcool 14,5%

Avaliação Vinho SIM: ÓTIMO (15/20) / Relação QUALIDADE-PREÇO: BOA
Reações: