quarta-feira, 26 de março de 2014

Confraria Vinho SIM - Março/2014: Sauvignon Blanc Novo Mundo!


Na noite da sexta-feria, dia 14/03, consegui (finalmente!) reunir um seleto grupo de enófilos, de alguma forma ligados à nossa região do ABC e em torno de um propósito em comum: provar vinhos com a possibilidade de discutir e estudar a partir do compartilhamento de experiências e impressões de cada um acerca de um tema específico.

Está retomada a Confraria Vinho SIM (CVS), uma ideia que se iniciou ainda em 2012 e que lamentavelmente acabou não decolando em 2013.

O grupo que iniciou em outubro de 2012 (relembre) o sonho de ter uma confraria bem estruturada aqui no ABC e que teve ótimos encontros, infelizmente se desfez, mas um novo grupo foi formado, agora com membros ainda mais apaixonados pelo vinho e pela boa comida, uma dupla que se completa e que será sempre o norte dos nossos encontros.

Como serão os encontros?

Aproximadamente a cada mês nos reuniremos em torno de um tema central para avaliarmos alguns vinhos eleitos previamente, de acordo com opções do mercado: facilidade de compra, preço, indicação de algum confrade, disponibilidade por algum produtor, ... e buscaremos opções de pratos para a harmonização. Os vinhos serão degustados, preferencialmente às cegas e, ao final do encontro, faremos a classificação com a nota final de cada um sendo a nota média dos presentes, sempre descartando a maior e a menor nota. No final do ano faremos um encontro onde os "vencedores" de cada encontro serão novamente provados para elegermos o "campeão" do ano.  

Obviamente o grupo ainda não está fechado e novos apaixonados que se identificarem com essas ideias e queiram participar, podem entrar em contato através do e-mail vinhosim@uol.com.br que sua solicitação será avaliada pelos fundadores da Confraria Vinho SIM com toda atenção. Produtores e importadoras que queiram trazer ideias e sugestões para os encontros também devem entrar em contato pelo mesmo e-mail.

1o Encontro/2014

Tema: Sauvignon Blanc Novo Mundo
Local: Empório Hedoniste - Santo André


Neste primeiro encontro tivemos a participação de 12 confrades, a maior parte amigos de algum tempo, mas também contamos com novos participantes, gente que veio pra somar, aprender e compartilhar momentos de descontração e diversão, também objetivos da CVS.

Degustamos 6 vinhos, todos na faixa de preço aproximada entre R$ 40,00 e R$ 100,00, contemplando África do Sul, Argentina, Brasil, Chile e Nova Zelândia. A Argentina foi a única com 2 exemplares na noite, pois o confrade Arnaldo Grizzo trouxe uma amostra extra para o painel.

A seguir, os vinhos da noite, na sequência que foram degustados.

1. Casa Rivas 2012


Simples e correto. Boa tipicidade e gostoso de beber. É um vinho para acompanhar pratos leves e pouco condimentados, uma ótima opção para o dia a dia. Alcançou nota média 15,4, de certa forma surpreendente para seu preço (R$ 45,00), denotando ótima relação qualidade-preço.

2. Doña Paula Estate - 2012


Bom vinho, fácil de beber, com boa acidez e conjunto aromas-sabores leve, delicado, mas que peca um pouco no quesito tipicidade. Com nota média de 14,1 pontos e custo de R$ 75,00, mostrou-se com relação qualidade-preço um pouco aquém do desejado.

3. Bellavista Estate 2012


Possivelmente a maior decepção da noite, pelo menos para a maioria dos confrades. Apesar de dois participantes o considerarem o melhor do painel, sua nota média de 13,4 pontos o colocou como o pior desempenho da noite. Não seria justo afirmar que se trata de um mau exemplar, porém mostrou-se muito pouco típico, sem as tradicionais notas cítricas, minerais e florais que se espera de um Sauvignon Blanc. O custo de R$ 71,00 o deixa com uma relação qualidade-preço aquém do desejado. 

4. Ken Forrester Vineyards 2011


Para mim, uma grata surpresa. Mineral com algum toque defumado bem interessante. Ótimo frescor e certa complexidade dão a este exemplar condições de escoltar diversos pratos, desde os clássicas frutos do mar, até risotos como o de salmão defumado, de limão siciliano, de camarão e outros. Não é um vinho de baixo custo, mas sua nota média de 15,5 pontos faz com que os R$ 91,00 cobrados por ele valham a pena.

5. Brookfields Vineyards 2008


O mais bem pontuado da noite, superou com relativa facilidade seus "concorrentes", como já podia se esperar, uma vez que é um vinho com custo um pouco acima dos demais (lembrando que todos exemplares foram degustados às cegas!). Certamente o mais típico dos 6 vinhos do painel, com toques de frutas cítricas e brancas, somados à mineralidade e frescor na medida certa. Saboroso e com certa complexidade. Certamente um ótimo exemplar produzido com Sauvignon Blanc encontrado no nosso mercado. Sua degustação pede o acompanhamento de pratos frescos e que, se possível, possuam boa complexidade e exuberância de sabores. Minha sugestão vai dede as tradicionais ostras, mariscos e vieiras, até os pratos da culinária oriental.

6. Finca La Florencia 2012


Mais um exemplar correto, bom para o dia a dia. Simples e eficiente. Gostoso de beber e com acidez ideal, bem equilibrada pela fruta. Sem grandes pretensões, pode ser uma boa opção para um aperitivo, saladas ou mesmo para uma pizza de atum.

RESULTADO FINAL - SAUVIGNON BLANC NOVO MUNDO

Vinhos degustados na sequência da prova, da esquerda para a direita.

Vinho / Produtor
Safra
Região
País
$ médio
Nota
1
Brookfields Vineyards
2008
Hawkes Bay
Nova Zelândia
R$ 108,00
16,4
2
Ken Forrester
2011
Stellenbosch
África do Sul
R$ 91,00
15,5
3
Casa Rivas
2012
Vale do Maipo
Chile
R$ 45,00
15,4
4
Doña Paula Estate
2011
Vale do Uco
Argentina
R$ 75,00
14,1
5
Finca La Florencia
2012
Mendoza
Argentina
R$ 42,00
13,6
6
Buena Vista Estate
2012
Campanha - RS
Brasil
R$ 71,00
13,4

Galera reunida. Descontração total à espera do jantar no Empório Hedoniste, sede do primeiro encontro de 2014 da Confraria Vinho SIM.
E foi assim.

Próximo encontro!

O encontro de abril da CVS já está acertado.
Dia 04, o Empório do Bacalhau, em São Bernardo do Campo, nos receberá para o tema Chardonnay barricado x Chardonnay não-barricado. Promessa de mais uma noite de muito bate-papo e estudos!

Dúvidas, sugestões e comentários diversos, deixe seu recado aqui em baixo.


Que Baco nos ilumine!

sábado, 22 de março de 2014

Vinícola brasileira lança vinho em taça!


A vinícola catarinense Villaggio Grando, da região de Água Doce, será a primeira vinícola do Brasil, em parceria com a empresa Bendito Vinho de São Paulo, a produzir vinho em taça descartável, lançamento que promete agitar o segundo semestre deste ano.


A qualidade do produto, segundo o diretor comercial da vinícola, Guilherme Grando não será alterada. "Vinho envasado em taça, já é vendido na França e na Itália e é ótimo para eventos. Testamos o produto na taça descartável e comprovamos que a qualidade não é alterada. A taça chegará ao mercado com custo entre R$ 10,00 a 15,00, a taça e o material é plástico descartável, ideal para grandes eventos como por exemplo, partidas de futebol", afirma Guilherme.


Apesar de ser uma grande novidade por aqui, o vinho em taça fez um barulho no início do ano 2012, quando a empresa londrina Wine Innovations lançou no mercado inglês três versões (um branco de Sauvignon Blanc, um rosé de Sangiovese e um tinto também de Sangiovese) de seu tulipan, o primeiro vinho em taça do mundo!

Parece-me uma ideia bem interessante, mas vou confessar
que não me empolgo muito. De qualquer forma, novidades são sempre bem vindas ao mercado. Provarei assim que possível e conto minhas impressões aqui!

E você, o que acha desta ideia?

segunda-feira, 17 de março de 2014

Os melhores espumantes do Brasil - Ranking Vinho SIM 2014 - Categoria EXTRA BRUT & NATURE - MÉTODO TRADICIONAL (CHAMPENOISE)


Depois de um dia muito intenso, avaliando quase 40 amostras das categorias Brut Branco (relembre) e Brut Rosé (relembre), ambos produzidos pelo Método Tanque – popularmente chamado de Charmat -, partimos para o 2o dia de provas onde avaliamos os espumantes produzidos pelo Método Tradicional – Champenoise – divididos em três categorias, Brut Branco, Brut Rosé e Extra Brut & Nature, tema deste post.

Infelizmente em 2013 não obtive número significativo de amostras para realizar esta categoria e então avaliamos os espumantes que chegaram juntamente com os da categoria Brut - Tradicional, o que acabou gerando uma certa confusão no painel, motivo pelo qual decidi não divulgar os resultados, acreditando que a comparação não foi adequada. No entanto isso é passado e para esta 2a Edição do RVS foram catalogadas 10 amostras entre Extra Bruts e Natures, o que mostra o significativo aumento na produção deste tipo de vinho no Brasil e, certamente, mais um exemplo de autoconfiança e coragem dos nossos produtores.

Para quem não ainda não leu, lembro que para melhor compreensão do que foi esta 2a Edição do RVS de Espumantes Nacionais, bem como o completo entendimento das regras do evento, como critérios de avaliação, painel de jurados, local, dentre outros, é altamente recomendada a leitura DESTE POST, onde todos estes e mais alguns detalhes foram descritos com todo o cuidado que a prova exige.

Marcelo Iabiku, proprietário da importadora Hedoniste e do Empório Hedoniste e Jeriel da Costa, crítico de vinhos e autor do Blog do Jeriel 
Vanessa Sobral, autora do blog Falando sobre Vinhos e colaboradora da Revista Adega e Talita Martinez, colaboradora do blog Vinho SIM

Ressalto novamente o número de vinícolas convidadas para a prova: 70, mas muitas delas nem sequer se deram ao trabalho de responder ao convite, assim como algumas delas se recusaram a participar por motivos diversos.

Assim como já expliquei nos artigos das categorias Brut Branco e Brut Rosé – Tanque, seguindo o que acontece em alguns dos principais concursos do mundo, neste ano somente serão divulgadas as notas/avaliações dos espumantes que se destacaram entre os mais representativos de cada categoria, sendo adotado como “nota de corte” um mínimo de 15 pontos.

CATEGORIA EXTRA BRUT & NATURE – MÉTODO TRADICIONAL (CHAMPENOISE) - AMOSTRAS MAIS REPRESENTATIVAS


Vinho / Produtor
Região
Uvas
$ médio
Nota
1
Perini Nature
Farroupilha - RS
Ch e PN
R$ 75,00
15,9
2
Dunamis Extra Brut 2012
Serra Gaúcha - RS
100% Ch
R$ 50,00
15,6
3
Guatambu Nature 2012
D. Pedrito – C. Gaúcha - RS
100% Ch
R$ 52,00
15,6
4
Valmarino & Churchill 2011
Pinto Bandeira – RS
Ch (90%) e PN
R$ 61,00
15,6
5
Estrelas do Brasil Rosé
Bento Gonçalves - RS
PN, Ch, Vi e RI
R$ 80,00
15,1
6
Campos de Cima Extra Brut
Campanha Gaúcha
Ch e PN
R$ 39,00
15,0

Em que

Ch: Chardonnay,
PN: Pinot Noir,
Vi: Viognier e
RI: Riesling Itálico.

1.  Perini Nature


Desde seu lançamento, o Nature da Perini vem amealhando algumas premiações e ótimas notas e não foi diferente em sua estreia nesta 2a Edição do RVS. Com os clássicos e esperados aromas de pão torrado e frutas cítricas acompanhados de ótima cremosidade e com toques de frutas de polpa branca, o espumante conseguiu a excelente média de 15,9 pontos que o coloca não apenas como grande destaque desta categoria, mas como um dos melhores espumantes do Brasil. Harmonioso, bem equilibrado e com final longo. Muito recomendado para pratos à base de frutos do mar com molhos sofisticados e amanteigados.

**** $$$$$

2.  Dunamis Extra Brut 2012


Outro estreante que chegou se destacando, conquistando a média de 15,6 pontos e se colocando entre os melhores espumantes do Brasil.
Nariz sedutor, lembrando maçãs com alguns toques de frutas secas. Na boca confirma notas de maça e mostra-se macio e cremoso, com boa acidez e final médio. É um vinho que apresenta certa complexidade bem aliada a um ótimo frescor. Sem dúvida alguma, um dos ótimos espumantes nacionais. Sua acidez marcante acompanhada de toques frutados o tornam um ótima pedida para acompanhar canapés e entradas diversas.

**** $$$$

3.  Guatambu Extra Brut 2012


Uma espécie de irmão mais velho de um dos maiores destaques da Edição do 2013 do RVS, o Poesia do Pampa 2011 (relembre), o Extra Brut 2012, com uma nota média de 15,6 pontos, mostra que a vinícola de Dom Pedrito, na Campanha Gaúcha - RS, não veio para ser mais uma, mas sim para brilhar no cenário do vinho nacional.
Aromas de frutas cítricas com algum toque animal, ao meu ver uma das maiores características do vinho brasileiro, antecipam uma certa mineralidade levemente salgada e um ótimo frescor, que mostram a grande personalidade deste espumante. Complexo e com final médio é certamente uma ótima opção para frutos do mar frescos e preparados com poucos condimentos, como vieiras e mexilhões, além de entradas e saladas.

**** $$$$

4.  Valmarino & Churchill 2011


Outro que vem recebendo diversos elogios desde seu lançamento, a safra 2011 da parceria entre Nathan Churchill e Vinícola Valmarino que também foi destaque aqui no RVS, conseguindo a ótima média 15,6, graças à uma linda e fina perlage, aromas de frutas cítricas acompanhados de notas de brioche e baunilha, uma acidez refrescante, muito bem equilibrada com a fruta, tudo isso encapado por ótima cremosidade. Um espumante complexo e interessante, com toda certeza um dos melhores do Brasil. Ideal para acompanhar entradas à base de queijos e risotos diversos.

**** $$$$

5.  Estrelas do Brasil Rosé


Único rosé do grupo, o Nature da vinícola que vem surpreendendo o mercado desde seu lançamento, mostrou que tem qualidade e personalidade suficientes para encarar qualquer desafio, já que alguns dos melhores espumantes do Brasil estavam justamente nesta categoria. Com 60 meses de contato com as leveduras e um corte bem intrigante, que leva as clássicas Chardonnay e Pinot Noir acompanhadas de um clone de Riesling Itálico e ainda Viognier, este é um espumante complexo, denso, com diversas notas de frutas secas, panificação e até café, acompanhadas de uma ótima acidez. Cremoso, complexo, com final médio-longo, é ótima opção para acompanhar pratos da culinária oriental, desde os mais leves da japonesa, até os mais aromáticos das indiana e tailandesa.

**** $$$$$

6.  Campos de Cima


A vinícola da Campanha Gaúcha, ainda menos conhecida no cenário nacional que o merecido, que já havia se destacado na 1a Edição do RVS com a ótima pontuação do seu Brut, agora confirma toda sua capacidade na categoria Extra Brut & Nature, apresentando um espumante de grande qualidade e preço altamente competitivo, um dos melhores, senão o melhor, na relação qualidade-preço no mercado nacional.
No nariz, a primeira impressão foi de algo que lembra um leve amargor, possivelmente cevada, mas este toque não aparece de forma negativa e sim como uma característica, que logo foi apagada pelas notas de frutas secas, mostrando evolução. Na boca, a refrescância dá o tom, mas a combinação de frutas maduras e toques amanteigados tornam este espumante certamente um dos mais destacados da prova. Muito recomendado para entradas e pratos à base de peixes e frutos do mar no geral.

**** $$$

Nesta categoria foram avaliadas 10 amostras, sendo que 6 delas atingiram os 15 pontos (ou mais) de média, o maior percentual de aproveitamento de todas as categorias e bem acima da média geral, em torno dos 30%.

Conclusões:

1. Nos últimos tempos houve um nítido aumento no interesse dos produtores em elaborar produtos sem adição de licor de expedição, mostrando que a cada ano a vontade de mostrar produtos mais autênticos é mais aflorada.
2. Esta categoria foi a que apresentou o maior rendimento de todas, com 60% das amostras atingindo a nota média de 15 ou mais pontos, um incrível aproveitamento.
3. Aqui não estão os espumantes mais frescos e tampouco os mais “diferentes”, no entanto certamente é nesta categoria onde notamos os verdadeiros riscos que nossos produtores aceitam correr, produzindo espumantes de grande qualidade que mostram exatamente aquilo que podemos esperar do Brasil.

Durante o ano, acompanharei os lançamentos de mais produtos e novas safras desta categoria no mercado, sempre trazendo novidades e informações aqui no Vinho SIM.

Perguntas, sugestões, críticas e afins, deixe seu comentário aqui em baixo.


Matérias relacionadas (demais resultados):

 RVS 2014: Brut Branco - Método Tanque

 RVS 2014: Brut Rosé - Método Tanque



segunda-feira, 10 de março de 2014

Ranking Vinho SIM de Espumantes Nacionais 2014 - Destaques da categoria BRUT ROSÉ - MÉTODO TANQUE (CHARMAT)


Concluídos os trabalhos da categoria Brut Branco – Método Tanque (Charmat) (relembre), seguimos os trabalhos de avaliação de amostras da 2a Edição do RVS de Espumantes Nacionais, agora com a categoria Brut Rosé – Método Tanque.

Assim como já acontecera em 2013, esta categoria me surpreendeu novamente, talvez não com espumantes incríveis e de notas altíssimas, mas sim com produtos cheios de personalidade, produzidos com cortes muito particulares, uma real demonstração de coragem e ousadia dos nossos enólogos, muitas vezes tão criticados - por mim, inclusive - por vinhos previsíveis e cada vez mais padronizados.
Para quem não ainda não leu, lembro que para melhor compreensão do que foi esta 2a Edição do RVS de Espumantes Nacionais, bem como o completo entendimento das regras do evento, como critérios de avaliação, painel de jurados, local, dentre outros, é altamente recomendada a leitura DESTE POST, onde todos estes e mais alguns detalhes foram descritos com todo o cuidado que a prova exige.
Ressalto novamente o número de vinícolas convidadas para a prova: 70, mas muitas delas nem sequer se deram ao trabalho de responder ao convite, assim como algumas delas se recusaram a participar por motivos diversos.

Assim como já expliquei no artigo da categoria Brut Branco – Tanque, seguindo o que acontece em alguns dos principais concursos do mundo, neste ano somente serão divulgadas as notas/avaliações dos espumantes que se destacaram entre os mais representativos de cada categoria, sendo adotado como “nota de corte” um mínimo de 15 pontos.


CATEGORIA BRUT ROSÉ - MÉTODO TANQUE (CHARMAT)
AMOSTRAS MAIS REPRESENTATIVAS


Vinho / Produtor
Região
Uvas
$ médio
Nota
1
Perini
Farroupilha - RS
Ch, Ga e PN
R$ 30,00
16,0
2
Courmayeur
V. dos Vinhedos - RS
PN e Mo
R$ 33,00
15,0
3
Santa Augusta 2010
V. do Cont. Videira – SC
CS, Me, Ma, Mp e CF
R$ 40,00
15,0
4
Villagio Grando 2012
C. de Herciópolis - SC
PN e Me
R$ 40,00
15,0

Em que

Ch: Chardonnay,
Ga: Gamay
PN: Pinot Noir,
Mo: Moscato,
CS: Cabernet Sauvignon,
Me: Merlot,
Ma: Malbec,
Mp: Montepulciano e
CF: Cabernet Franc.

1.  Perini


O inusitado corte de Chardonnay, Gamay e Pinot Noir parece ter dado certo, pois amealhou a ótima nota média de 16 pontos, se colocando entre os melhores no quadro geral, além do melhor da categoria, eleito por todos os jurados como “um dos melhores da categoria”. Uma excelente estreia.
Clara presença de morangos frescos, tanto na nariz, quanto na boca, com final com algum toque mineral. Ótima acidez e boa persistência. É certamente uma grande compra, considerando seu preço médio de R$ 30,00.
**** $$

2.  Courmayeur


Outra novidade no Ranking Vinho SIM que estreou muito bem.
Mais um rosé produzido com um corte fora do comum, com 80% Pinot Noir e 20% Moscato, o Courmayeur agradou bastante, sendo apontado por 2 degustadores como um dos melhores da categoria.
No nariz, uma presença marcante de aromas florais e delicados toques de frutas vermelhas. Na boca, a presença de frutas vermelhas mais maduras deixa uma sensação levemente adocicada, mas agradável. Os R$ 33,00 de preço médio, também o colocam como ótima opção de compra.

**** $$

3.  Santa Augusta 2010


Neste rosé, a vinícola catarinense do Vale do Contestado Videira, outra estreante no Ranking Vinho SIM, dá uma aula de capacidade de produzir espumantes com cortes inovadores, inserindo nada mais, nada menos que 5 castas: Cabernet Sauvignon (45%), Merlot (20%), Malbec (20%), Montepulciano (12,5%) e Cabernet Franc (2,5%). Certamente um espumante único no mundo.
Essa ousadia toda num espumante apenas correto, ao meu ver, já seria digna de ser exaltada, já que o risco é inegável, mas a Santa Augusta, conseguiu um algo a mais, produzindo um espumante safrado de personalidade incrível e ótima qualidade.
Frutas vermelhas frescas dão o tom no nariz, mas um intrigante toque apimentado aparece para dar um charme especial à paleta aromática. Na boca, o conjunto fruta + acidez é bem equilibrado, acompanhando de uma boa cremosidade.
Não há dúvida que é um espumante com vocação gastronômica, onde deverá acompanhar muito bem frutos do mar em geral e, principalmente, pratos da culinária japonesa, indiana e tailandesa. Não deixe de provar.

**** $$$

4.  Villagio Grando


Único “veterano” da categoria, o Rosé da vinícola catarinense de Campos de Herciópolis se destacou pelo 2o ano consecutivo, agora com sua safra 2012, se firmando como um dos melhores desta categoria no Brasil.
Diante de tantas novidades, o corte de Pinot Noir com Merlot já não é dos mais diferentes, mas continua trazendo ótimos resultados. A presença de frutas como nectarinas e pitangas, acompanhadas de toques de pão levemente torrado dão o tom na paleta aromática, cujas frutas frescas são confirmadas na boca, onde o ótimo equilíbrio entre fruta e acidez é destaque, acompanhado de uma gostosa cremosidade. Não há dúvida que é espumante altamente recomendado.

**** $$$


Nesta categoria foram avaliadas 10 amostras, sendo que 4 delas atingiram os 15 pontos (ou mais) de média, um percentual superior a média geral, que ficou na casa dos 30%.

Conclusões:

1. Houve uma similaridade nas notas médias deste ano com a da 1a Edição do RVS, bem como a diferença entre a maior e a menor nota média entre todas as amostras de 2013 e 2014 foram muito próximas.
2. Neste ano tivemos a inscrição de amostras de 5 novas vinícolas nesta categoria, mas o número total de amostras permaneceu igual, já que outros 5 produtores não enviaram suas amostras.
3. Foi nesta categoria que apareceram os produtos mais diferentes, onde a ousadia e criatividade se afloraram trazendo boas perspectivas de produtos cheios de personalidade para os próximos anos,

Repetindo a conclusão do artigo Brut Branco – Método Tanque, existem ótimos espumantes produzidos por este método no Brasil e, apesar da média ainda poder melhorar, fiquei bastante feliz com os resultados desta categoria e gostaria de deixar público meus parabéns por toda coragem dos nossos enólogos em produzir espumantes com tanta personalidade.

Durante o ano, acompanharei os lançamentos de mais produtos desta categoria no mercado, sempre trazendo novidades e informações aqui no Vinho SIM.

Nos próximos dias os resultados das categorias Extra Brut & Nature – Método Tradicional (Champenoise), Brut Branco – Método Tradicional e Brut Rosé – Método Tradicional estarão disponíveis aqui. Acompanhem e que Baco nos ilumine!

Perguntas, sugestões, críticas e afins, deixe seu comentário aqui em baixo.

Qual dos vinhos seguir você gostaria de ver comentado aqui no Vinho SIM?