quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Confraria Vinho SIM - Agosto/2014 - Regiões "alternativas" da Espanha

O dia 30/08 foi escolhido para o 6º Encontro da Confraria Vinho SIM, muito aguardado principalmente por conta de um tema muito excitante, eleito de forma muito cuidadosa pelos confrades: Regiões “alternativas” da Espanha.

A Espanha é, sem dúvida, um dos países que mais investiram em sua vitivinicultura nos últimos anos, oxigenando vigorosamente sua indústria do vinho, desde o vinhedo até apresentação de seus rótulos, passando por modernização dos processos de cultivo, vinificação e afinamento em barricas, colocando-se novamente em evidência num mercado cada dia mais competitivo e que exige de todos esforços contínuos para se manter em pé.

O país possui uma das maiores quantidades de D.O.s do mundo e cada uma delas tem suas peculiaridades e seus encantos, o que torna a experiência de provar um vinho espanhol sempre algo novo e interessante. É claro que algumas regiões são mais consagradas e todos conhecemos (e adoramos!) seus vinhos, por isso neste encontro da CVS pensamos na possibilidade de provar alguns exemplares de regiões, digamos, menos conhecidas do grande públicas, D.O.s “menos badaladas” no Brasil, visando não apenas alimentar nossa curiosidade e paixão pelos vinhos dos ibéricos, mas também compará-los, em termos de qualidade e regionalidade, aos seus conterrâneos mais “famosos”.

Para este mês, diversificando nossa gama de anfitriões, elegemos o Winebar La Vicenza, em São Caetano do Sul, um espaço aconchegante e bonito, com uma vasta e bem selecionada carta de vinhos e um cardápio enxuto e bem feito. Sem dúvida, mais uma ótima opção para os amantes do vinho da nossa região do ABC.

A seguir, a classificação final dos vinhos da noite. 


Vinho / Produtor
Safra
$ médio (R$)
Nota
1
Cepas Viejas / Dominio de Tares
2008
160,00
16,7
2
Leione / Domínio Dostares
2009
150,00
16,6
3
Real de Aragón / Pagos
2008
66,00
16,4
4
Menut Priorat / Mas Martinet
2010
82,00
15,9
5
Comoloco / Juan Gil
2011
60,00
15,6
6
Castro de Valtuille /
2009
58,00
15,1
7
Piedras Crianza / Vega Saúco
2011
75,00
15,0
* Duas amostras, de regiões clássicas, não entraram na avaliação.

Vinhos na ordem em que foram degustados

Os destaques da noite:

Cepas Viejas 2008 / Dominio de Tares

Da região de Bierzo vem o campeão da noite. Produzido com a uva Mencía e com afinamento de 9 meses em barricas de carvalho americano é um vinho cheio de personalidade. Agradável e com ótima harmoniza fruta-acidez-madeira mescla com maestria os estilos Velho e Novo Mundo. Final saboroso e longo.

Leione 2009 / Dominio Dostares

Produzido com uvas Prieto Picudo na região de Castillo y León, o 2º colocado da noite tem afinamento de 9 meses em barricas de carvalho e, assim como o campeão da noite, muita personalidade. Muito interessante para quem não conhece a casta.

Real de Aragón 2008 / Pagos

Da região de Calatayud vem este 100% Garnacha produzido com uvas de parreiras com mais de 80 anos. Frutas vermelhas e negras se fundem à notas tostadas da madeira entregando um vinho com bom equilíbrio e muito gostoso de beber.





E foi assim.

Mais um noite de descontração na medida certa e muito aprendizado, com vinhos muito interessantes. Terminamos com a certeza que ainda temos muito (mas muito mesmo!) a aprender sobre estas regiões "alternativas" da Espanha. Que venham mais momentos para provar estes vinhos especiais.  


Data
30/08
Local
La Vicenza Winebar
Número de Participantes
11
Tema
DOs “alternativas” da Espanha
Amostras
9*
Vinho Destaque
Domínio da Tares Cepas Viejas 2008 (Importadora Tahaa)
Que Baco nos ilumine!

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Bodega Casarena (Mendoza 2014)


A Casarena é muito mais conhecida no Brasil pelo nome de uma das linhas de vinhos, a Ramanegra, mas a história da vinícola mendocina vai muito além.

A antiga Bodega Carlos Bertona foi fundada em 1937 e passou por longos anos de quase ostracismo até ser comprada e completamente remodelada em 2007, onde recebeu o nome que é uma referência à “Casa de arena” (Casa de Areia), cor original do grande galpão da vinícola e que os atuais donos fizeram questão de manter para preservar uma certa originalidade e, porque não, um certo saudosismo.

O empreendimento é bastante interessante e a vinícola, localizada em Luján de Cuyo, está praticamente colada aos seus 4 vinhedos - área cultivada de aproximadamente 160ha - de idade entre 5 e 80 anos, onde se produz Malbec, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Merlot, Petit Verdot, Sauvignon Blanc y Chardonnay.

Guiados pelo simpático Rodrigo Piriz, conhecemos um pouco das instalações, onde tivemos a oportunidade de provar alguns vinhos diretamente dos tanques e também conversar um pouco com uma das enólogas da vinícola, Paula Gonzalez, que, além de compartilhar um pouco de sua experiência conosco, também nos contou um pouco sobre um novo projeto da Casarena, um vinho ícone – ainda sem nome –, que pudemos provar em processo final de afinamento em tanque pequeno de aço e nos pareceu muito bom. Acompanhe no vídeo a seguir.



Depois deste pequeno tour pela Bodega, fomos à sala de degustações para provar alguns vinhos que já estão no mercado, cujas impressões estão na sequência.


Ramanegra Reserva Malbec 2012

Com 12 meses de afinamento em barricas francesas de 2º uso, apresenta um nariz de frutado maduro, típico dos Malbecs. Na boca é redondo, com acidez média e final agradável.

Nota VS: 16/20

Preço Brasil: R$  82,00


Ramanegra Reserva Red Blend 2012

Corte de 70% Malbec, 20% Cabernet Sauvignon, 7% Cabernet Franc e 3% Petit Verdot é uma verdadeira bomba de frutas, tanto no nariz, quanto na boca. Mescla muito interessante de frutas vermelhas e negras com madeira muito integrada. Boca muito madura com final agridoce.

Nota VS: 17/20

Preço Brasil: R$  82,00





CF Lauren´s Vineyard 2011

Com 18 meses de afinamento em barricas de 1º uso, este Cabernet Franc é uma das grandes "promessas" de Mendoza, principalmente por sair do lugar comum da Malbec. Concentrado e complexo, seus taninos firmes e maduros aliados à excelente acidez o colocam como ótima opção para guarda. Persistência muito longa.

Nota VS: 17,5/20

Preço Argentina: AR$  260,00 (TOP 10 Mendoza 2014)
Preço Brasil: R$ não disponível


E foi assim.

Bodega Casarena

Por que visitar?

Bodega com grande história na vitivinicultura mendocina.

Produção anual (vinhos finos): 1,2 milhões litros
Importador no Brasil: Magnum (visitar site)

Avaliação VS

 Clique para ler os critérios de avaliação


Que Baco nos ilumine!

Artigos Relacionados






sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Confraria Vinho SIM - Julho/2014 - Malbec


A Confraria Vinho SIM continua a plenos pulmões e no "friozinho" do inverno paulista não haveria tema melhor do que o escolhido pelos confrades para este encontro: Malbec & Churrasco!

Diferentemente do que fizemos nos demais encontros, para comemorar o nosso 5º encontro, decidimos nos reunir na casa de um dos confrades para que assim pudéssemos desfrutar um pouco mais dos vinhos, das carnes e da companhia sem a preocupação do tempo ou de qualquer outra variável.

Será que deu certo?


Aproveitando a ocasião mais descontraída e divertida, fizemos uma modificação na forma de avaliar os vinhos da noite. No lugar das notas dos encontros anteriores, decidimos que cada um dos 9 confrades presentes apontaria os seus 3 favoritos da noite, sem a necessidade ou preocupação de dar uma nota ou mesmo fazer qualquer tipo de avaliação técnica.

O resultado foi muito interessante e tivemos um empate triplo na eleição do "campeão" da noite.


Vinho / Produtor
Safra
$ médio (R$)
Votos
1
Cadus Malbec of Vineyards / Nieto Senetiner
2011
120,00
5

Synthesis / Sophenia
2010
130,00
5

Temporis / Achaval Ferrer
2010
* / **
5
4
Malbec Alto / Angelica Zapata
2009
175,00
3
5
Gran Reserva / Humberto Canale
2011
130,00
2
* Não disponível no Brasil
** Eleito nas safras 2008 e 2009 como um dos 50 melhores vinhos argentinos por Robert Parker, com 98/100 pontos.

5. Humberto Canale Gran Reserva 2011

Começamos com um belo exemplar da Patagônia, cujo frescor e vivacidade dão o tom, mostrando um estilo de Malbec diferenciado dos superconcentrados e frutados que recheiam o mercado brasileiro.


4. Angelica Zapata / Malbec Alto 2009

O aclamado Angelica Zapata é um dos vinhos mais Malbecs argentinos mais conhecidos do mundo, principalmente por seu regularidade. Sempre cheio de fruta e complexidade agradou em cheio aos confrades.

1. Achaval Ferrer / Temporis 2010

O produtor argentino (juntamente com Cobos) que vem recebendo as mais expressivas notas da crítica mundial nos últimos anos mantem seu estilo cheio de fruta e especiarias e com notas defumadas e florais que agradam muito. Já está ótimo, mas me parece longe de seu auge.

1. Sophenia / Synthesis 2010

Diretamente do Vale do Uco (Mendoza) a vinícola Sophenia nos brinda com este Malbec cheio de notas de chocolate, tabaco e especiarias doces. Um vinho delicioso, com conjunto fruta-acidez excepcional que o coloca como um ícone no quesito 'vontade de continuar bebendo'.

1. Nieto Senetiner / Cadus Malbec of Vineyards 2011

Possivelmente o mais pronto dos vinho da noite, este corte de três vinhedos de Malbec é "O" vinho para se abrir acompanhando um belo asado argentino e desfrutar de uma harmonização perfeita e sem complicações. A picanha ao ponto elaborada pelo confrade Zé Carlos caiu como uma luva para a suculência e frescor deste Blend of Malbecs 2011.

E assim brindamos mais um encontro da Confraria Vinho SIM desfrutando do clássico duo dos hermanos argentinos: malbec + churrasco harmonizado com descontração e amizade em altas doses.

Que venha o próximo e
que Baco nos ilumine!

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

12ª Edição do Annual Wines of Chile Awards será no Brasil!


No último dia 25/09, em coletiva de imprensa realizada no Hotel Renaissansse – São Paulo e organizada pela CH2A - Comunicação, foi apresentado o Annual Wines of Chile Awards 2014 (AWoCA), concurso que elege os melhores vinhos chilenos por um júri composto por renomados profissionais de todo o mundo.

A 12ª Edição de um dos concursos mais importantes do mundo mostra a importância do Brasil para o mercado do vinho chileno, pois será pela primeira realizado fora do Chile. Naturalmente a escolha do Brasil está diretamente ligada a dois fatores. O primeiro deles é sermos, hoje, o quinto maior mercado para nossos vizinhos sulamericanos e o segundo - talvez a menina dos olhos dos chilenos - a paixão dos brasileiros pelos vinhos chilenos e, então, o potencial de crescimento deste mercado para os próximos anos.

Nesta edição serão avaliadas 600 amostras entre os dias 25 e 27/11 por um júri composto por 12 especialistas brasileiros, selecionados entre sommeliers, jornalistas e formadores de opinião, além de representantes das duas maiores associações do meio no Brasil.

Vale frisar que o convite para a participação na AWoCA, como em todos os anos, foi feito a todas as vinícolas e a adesão de 99 delas representa algo em torno de 95% do total que é exportado para o Brasil. A avaliação acontecerá nos dias 25, 26 e 27 de novembro e os resultados divulgados no dia 02 de dezembro, onde serão premiadas amostras das categorias Cabernet Sauvignon, Syrah, Pinot Noir, Sauvignon Blanc, Carménère, Chardonnay, Rosé, Late Harvest, Sparkling Wine, Super Premium Red, Super Premium White, Red Blend, Other Reds, Other White e Best in the Show, a principal categoria que elegerá o melhor de todas as categorias.

O Vinho SIM acompanha tudo de perto e divulgará os resultados assim que estiverem à disposição. Acompanhe.

Que Baco nos ilumine!

Qual dos vinhos seguir você gostaria de ver comentado aqui no Vinho SIM?