Os melhores BRANCOS (acima de R$ 50,00) do Brasil - RVS de Brancos, Tintos & Rosés 2015

Publicado por Blog Vinho SIM em 29.7.15 com Sem comentários
Pelo 3º ano consecutivo  tive o prazer de organizar uma grande degustação de vinhos nacionais, que desde o início intitulei Ranking Vinho SIM

Depois das edições 2013-14 e 2014-15 realizadas somente com espumantes, neste ano resolvi voar por outros vinhedos e convidar as vinícolas a colocar a prova seus BrancosTintos Rosés. 

Como não poderia deixar de ser, neste ano a degustação foi também surpreendente. Cumprindo seu principal objetivo de ser uma vitrine amplamente democrática no cenário do vinho nacional, esta 1a Edição do Ranking Vinho SIM de Brancos, Tintos & Rosés consolidou o trabalho de algumas vinícolas já conhecidas do grande público e apresentou algumas "novidades" que certamente serão muito comentadas nos próximos anos no cenário nacional e internacional.

Desde a 1ª Edição do RVS (Espumantes), eu mencionei que minha maior motivação para criar e organizar esta prova era a busca por respostas à algumas dúvidas, que, três anos depois, confesso ainda não saber, embora já possa ter algumas desconfianças.

1. Por que as notícias em torno do vinho brasileiro tratam quase sempre das mesmas vinícolas?

2. Por que, quase sempre, são premiados os mesmos vinhos?

3. Quem são os vinhos destaque na relação QUALIDADE-PREÇO?

Vale ressaltar que para esta prova convidei mais de 80 vinícolas, mas muitas delas nem sequer se deram ao trabalho de responder ao convite, assim como algumas delas se recusaram a participar por motivos diversos. Estaria aqui parte das respostas que busco?

Nas categorias subsequentes a esta, a saber Brancos até R$ 50,00 (leia artigo), Tintos até R$ 50,00 (leia artigo) e Rosés (leia artigo) adotei como critério de divulgação, como acontece em alguns dos principais concursos do mundo e atendendo as sugestões de alguns jurados e também de alguns produtores, as notas/avaliações dos vinhos que se destacaram entre os mais representativos de cada categoria, sendo adotado como nota média mínima os 16 pontos (vinho considerado ÓTIMO - no limite para o REFINADO - para mais detalhes consulte os CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO do blog) - exceto na categoria Rosés, onde foi necessário um pequeno ajuste -, que tam ém foi seguido nesta categoria.

Que fique claro que o objetivo desta conduta não é de forma alguma poupar determinadas amostras de críticas, mas sim evitar especulações errôneas no que diz respeito à classificação dos vinhos em uma ordem.

Para a melhor compreensão do que foi esta Edição do RVS de Brancos, Tintos & Rosés, bem como o completo entendimento das regras do evento recomendo a leitura DESTE POST, onde todos estes e mais alguns detalhes foram descritos com todo o cuidado que a prova exige.

Posto isso, vamos aos destaques da categoria Rosés.


Que, em resumo, foram descritos assim: 

Miolo Quinta do Seival Alvarinho 2013 


Com uvas cultivadas na região da Campanha Gaúcha - RS a Miolo apresenta este Alvarinho da linha Quinta do Seival (~ R$ 57,00) cuja grande destaque na categoria se dá pela maestria da união de complexidade e vivacidade. Um vinho repleto de aromas de frutas brancas e de caroço, toques de ervas frescas e algo de especiarias. Na boca um conjunto fruta-acidez fantástico e um final macio, longo e cativante. A nota média de 17,0 já fala por si só, mas ainda assim vale frisar que se trata, certamente, de um dos grandes brancos da América do Sul. 


Santa Augusta Chardonnay 2013


A vinícola catarinense do Vale do Contestado - Videira Água Doce, que já havia emplacado seu Moscato Giallo entre os destaques da categoria Brancos até R$ 50,00 com a ótima nota de 16,1 se superou colocando este Chardonnay (~ R$ 60,00) entre os principais brancos do país, vinho que pessoalmente adorei o obteve a nota média 16,6. Muito aromático, com muitas notas de frutas tropicais - destaque para bananas maduras e doce de banana - , além de alguma especiaria doce e algo floral. Na boca é muito harmonioso, com ótima integração entre fruta e acidez. Um bom corpo e uma ótima avaliação no quesito 'vontade de continuar bebendo' completam a análise deste belo branco catarinense. 



Pericó Vigneto 2013

Mais um representante de Santa Catarina, agora do Vale batizado pela própria vinícola de Pericó Valley, na gelada São Joaquim. A Pericó, que já havia emplacado seu rosé Taipa 2013 como um dos melhores da sua categoria, agora nos brinda com este Vigneto (~ R$ 85,00), um varietal Sauvignon Blanc que mostrou muito boa tipicidade, repleto presença de frutas tropicais e cítricas muito interessantes. A boca, com grande acidez, é um convite para entradas à base de frutos do mar frescas, como as tradicionais ostras fartamente encontradas no litoral do Brasil. Um ótimo exemplar.

Miolo Cuvée Giuseppe Chardonnay 2012


A vinícola de Bento Gonçalves, que até esta categoria não vinha apresentando uma grande performance no RVS 2015, coloca mais um representante entre os melhores brancos nacionais, mostrando toda a vocação do Vale dos Vinhedos em produzir este vinhos. Considerado pela vinícola como seu primeiro branco super-premium, o Cuvée Giuseppe (~ 58,00) mostrou um bom conjunto fruta-madeira, com toques amanteigados e algumas notas de frutas secas. Um bom vinho para acompanhar pratos à base de carnes brancas com temperos delicados e perfumados, como por exemplo, uma truta com molhos de amêndoas.





Villaggio Grando Chardonnay 2014


A vinícola catarinense de Água Doce, que já se destacou com seus ótimos espumantes no RVS 2013-2014 e 2014-2015 desta vez apresentou na prova dois vinhos brancos realmente muito interessantes. Este Chardonnay (~ R$ 60,00) de bom corpo e certa untuosidade mostra bom conjunto fruta-acidez, com vocação gastronômica para acompanhar queijos de maturação média e massas com molhos brancos encorpados. 



Monte Paschoal Dedicato Chardonnay 2014

A vinícola Basso, que se notabilizou nos últimos anos por seus vinhos e espumantes de boa relação qualidade-preço vem se desenvolvendo também na capacidade de produzir vinhos de gama superior, como é o caso desta linha Dedicato, que já emplaca este Chardonnay (~ R$ 65,00) como um dos melhores desta edição do RVS. Vinho com muito bom corpo e boa complexidade, mostrando algumas notas de frutas secas e algo defumado proveniente do amadurecimento de 6 meses em barricas americanas e francesas. Na boca é untuoso e com boa vocação gastronômica. Acredito que deve melhorar um pouco nos próximos meses, já que é recém lançado. 


Villaggio Grando Sauvignon Blanc 2014


Mais um exemplar para consolidar de vez os vinhos catarinenses e, ainda mais, a vinícola Villagio Grando como muito representativa no cenário do vinho branco nacional. Este SB (~ R$ 62,00) é muito gostoso, com notas cítricas muito bem acompanhadas por frutas brancas. Na boca tem muito boa acidez e até um toque mineral muito interessante. Ótimo vinho para acompanhar pratos frios da culinária oriental, assim como saladas que apresentem complexidade aromática. 



E foi assim.
Mais uma prova muito interessante que mostra que o Brasil evolui dia após dia e pode produzir vinhos muito interessantes e cada vez melhores.

Vem mais por aí.

Que Baco nos ilumine.

Artigos relacionados

RVS 2015 - Os melhores ROSÉS do Brasil
RVS 2015 - Os melhores TINTOS ATÉ R$ 50,00 do Brasil
RVS 2015 - Os melhores BRANCOS ATÉ R$ 50,00 do Brasil
Reações:
Categories: ,