segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Os melhores espumantes nacionais de 2016: ainda dá tempo de comprá-los para a virada do ano!


Pois é galera, 2016 se vai (que ano, hein!?) e pra comemorar a chegada de mais um ano, vou deixar minha recomendação para a festa de Ano Novo e, por que não?, para o início de 2017! Pra sair da rotina, nada de TOP 10, TOP 5, etc ... só os melhores que provei neste ano mesmo, sem ordem, sem regras ...

Maximo Boschi Brut Tradizionale 2013

Embora já conheça os espumantes da vinícola desde o 1º Ranking Vinho SIM de Espumantes nacionais, provei este 2013 diretamente em Bento Gonçalves no início do ano. Um espumante safrado que mostra frutas em exuberância, mas sem deixar de lado a acidez e um toque de complexidade. Um grande destaque entre os produtos nacionais. Ótimo para acompanhar desde os acepipes e entradinhas - tais como torradinhas com patês, queijos leves, damascos e frutas secas, até uma salada ou peixes não muito condimentados. É possível encontrá-lo em algumas lojas virtuais!

Nota VS: 16,5/20 (~ 70,00)


Angheben Brut

A Angheben é uma das vinícolas nacionais mais equilibradas quando se pensa em tradição e inovação, expressada exponencialmente neste espumante que é para mim, ao mesmo tempo um dos mais consistentes e injustiçados do Brasil. Sua consistência se mostra ano após ano no equilíbrio entre fruta e frescor. Conheço o espumante há quase uma década e sempre se manteve fresco, com boa fruta e complexidade! Já a injustiça se dá pelo fato de ser raro vê-lo nas listas de melhores! Altamente recomendado para acompanhar os pratos leves da ceia de ano novo. Também é possível encontrá-lo em algumas lojas virtuais.

Nota VS: 16,5/20 (~ 75,00)

Estrelas do Brasil Brut Rosé

A capacidade de lidar com as borbulhas de Irineo Dall'Agnol e Alejandro Cardozo já é muito conhecida por todos e neste rosé os caras, de novo, acertaram em cheio. Para mim é o melhor espumante nacional no quesito qualidade-preço!
Cheio de fruta e com um final extremamente agradável que deixa aquela "vontade de continuar bebendo". Vai bem do início ao fim da festa. Não é muito fácil encontrar à venda, mas o site da vinícola é bem eficiente.


Nota VS: 17/20 (~ 60,00)




Milantino Extra Brut

Provei este Extra Brut numa visita à vinícola ainda em janeiro e resolvi trazer algumas garrafas para casa para provar com mais calma e sem a influência da atmosfera de Bento Gonçalves.
Bingo!
Corte de Chardonnay e Pinot Noir que se destaca pelo equilíbrio entre uma acidez quase crocante e uma deliciosa cremosidade. Muitíssimo recomendado para acompanhar alguns pratos típicos desta época do ano, como os tradicionais peru e chester ou ainda pratos à base de bacalhau ou mesmo massas com molhos brancos. Não é muito simples de encontrá-lo, mas é possível comprar direto no site da vinícola.


Nota VS: 16/20 (~ R$ 75,00)
É isso. Espero que curtam as recomendações, um grande 2017 pra todos nós e 

Que Baco nos ilumine! 

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

GRAACC organiza leilão de vinhos para arrecadar fundos para pacientes com câncer!


O GRAACC, referência no tratamento do câncer infantojuvenil, realizará no segundo semestre de 2016 um leilão em prol da causa.
A instituição já começou a receber doações de garrafas de vinho e outras peças para o leilão, com destaque para os raros Veja-Sicília Único 2013, Chateâu Palmer 2014 e Château Suduiraut Sauternes 1998.
Todas as garrafas já estão armazenadas em adegas na Dedalo Leilões, localizada no bairro dos Jardins, em São Paulo, que será a responsável pelo evento.

Você também pode fazer parte desta causa e ajudar os pacientes do GRAACC a terem uma vida inteira pela frente: contribua com esta ação especial.

Para fazer a sua doação ou mais informações, entre em contato pelo telefone (11) 5904-6600 / 99732 28 54 ou mande um email para flavionoguer@graacc.org.br.

Bora participar?

sábado, 16 de janeiro de 2016

ND: Viña Progreso Sueños de Elisa Open Barrel 2011


Filho de peixe, peixinho é?

A história desde vinho e desta vinícola é bem interessante.
Após formar-se em Enologia, Gabriel Pisano - com todo o apoio da família com uma história de mais de 100 anos com o vinho no Uruguai - cria asas e voa mundo a fora, conhecendo com detalhes diversas regiões, vinícolas e grandes vinhateiros do Velho e Novo Mundo, casos de David Ramey (Sonoma – Califórnia), Beyers Truter (Stellenbosch – Africa do Sul) e Michel Rolland (Clos Apalta – Chile), além de realizar trabalhos na Espanha e no Priorato, exatamente onde o aprendeu uma técnica que os produtores lá utilizam para a vinificação de pequenos lotes: a Open Barrel ("barrica aberta"). 

Já de volta ao Uruguai - e cheio de ideias! - o jovem e inquieto Pisano logo inicia seu próprio projeto,
onde seus sonhos finalmente se tornariam realidade e seu talento poderia ser conhecido pelo Uruguai e pelo mundo. Nascia assim a Viña Progreso, uma espécie de vinícola experimental, sem vinhedos, adega e nem ao menos equipamentos próprios, na definição do próprio Gabriel uma "vinícola de garagem", com produção limitada, mas inovadora, a soma do pedigree Pisano com a vontade de inovar, de mostrar a sua cara.

Tive o prazer de conhecer a Pisano (leia o 
artigo da visita) algum tempo atrás, ocasião em que também conheci Gabriel e seus vinhos, que me chamaram bastante à atenção pela personalidade e rusticidade típica da família, mas principalmente pela maciez que os tornam destacados. Dentre todos, o que mais me encantou foi exatamente o Sueños de Elisa Tannat 2011, pioneiro do estilo Barrica Aberta no Uruguai.

No processo, as uvas são colocadas numa barrica de carvalho, as uvas são prensadas manualmente e são usadas apenas leveduras indígenas. Terminado o processo de fermentação, a barrica é "reconstruída" e o vinho permanece por mais alguns meses (6 meses nesta safra), terminando seu amadurecimento. A produção de pouco mais de 1000 garrafas e o enólogo homenageou sua tia, Elisa,
 que é também quem ilustra os rótulos da Viña Progreso.

Vamos ao vinho.


Cheio de fruta em compota em perfeito equilíbrio com a madeira no nariz, onde também aparecem notas de chocolate e algo de especiarias doces. Na boca, excelente acidez, muita fruta (de novo) e toques tostados e de chocolate dão a tônica. Taninos supermaduros e final longo, elegante e macio. Este é um daqueles vinhos que o prazer e a vontade de continuar bebendo transcedem a análise/descrição organoléptica. Uma aula de vinificação de Tannat e prova obrigatória para qualquer enófilo. Certamente um dos grandes vinhos da América do Sul. Seu preço pode parecer não muito convidativo, mas vale cada centavo! Sem dúvida um vinho com o tempero Pisano: sincero, rústico e frutado com uma pitada de maciez da nova geração.

REFINADO (17/20) / R$ 345,00 (Importadora Vinci)
E foi assim.

É a prova de que fazer grandes vinhos é transmitida de geração para geração! Se a geração dos irmãos Daniel, Gustavo e Eduardo consagrou os trabalhos de Don Cesar e dos demais antepassados em Progreso, Gabriel Pisano é o legítimo sucessor do legado dos Pisano. Um daqueles vinhos que merece o título de "vinhaço".

Que Baco nos ilumine!

Qual dos vinhos seguir você gostaria de ver comentado aqui no Vinho SIM?